O tratamento da esteatose grau 2

Última atualização em 23/04/2021 por Prof Luiz Carneiro
• Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Home » O tratamento da esteatose grau 2

A esteatose hepática é um problema que até 20 anos atrás não era muito valorizado mas, que nesses 20 anos aumentou muito a sua incidência e os seus problemas associados. A esteatose hepática hoje é um problema muito sério em todo o mundo e nós temos que ter algumas recomendações que são muito importantes.

Como detectar a Esteatose Hepática?

Quem tem esteatose tem que fazer exames de imagem para definir o grau da esteatose.

Existem maneiras de se definir se ela é apenas inicial ou se ela já é mais avançada, que seria um grau 1 e grau 2, e isso pode ser feito hoje pelo ultrassom.

Existe um exame específico que a elastografia, que pode até impedir a realização de biópsias. Existem hoje exames mais sofisticados como uma ressonância magnética com elastografia e que pode nos dar informações metabólicas também, associado a depósito de ferro e ferritina no fígado.

Existem maneiras de se diagnosticar bastante seguramente essa esteatose e se já tiver fibrose, se já tiver complicações da esteatose associadas, nós temos que tomar muito cuidado porque nós temos visto muitos casos de evolução para cirrose.

O que fazer para eliminar gordura no fígado? Clique aqui e saiba mais!

Consequências da Esteatose Hepática

Estamos transplantando muitos pacientes com esteatose como causa básica da doença.

É uma doença que ficou descuidada, eu tenho a gordura no fígado a 10-15 anos e nunca me preocupei, e quando chega aqui é uma doença insidiosa, é uma doença que vai quietinha, não se percebe e muitas vezes quando se descobre, ela tem essa característica, ela já está muito avançada e que também temos visto nos Estados Unidos já é a segunda causa de tumor maligno do fígado.

Causas da Esteatose Hepática

Quem tem esteatose tem que procurar um médico hepatologista, um médico especialista gastroenterologista que possa basicamente providenciar a perda de peso, fazer com que se possa tentar diminuir essa fibrose.

Se for um obeso muito grande, eventualmente temos que fazer indicação da cirurgia bariátrica, não por efeitos que a hipertensão, não por diabetes, mas sim em relação ao fígado, para evitar a evolução para uma cirrose.

Temos transplantado doentes com esteatose, um número crescente no Brasil, o aumento é impressionante. E também os tumores. 

Se você tem uma esteatose procure seu médico e peça para fazer um segmento rigoroso da sua gordura no fígado.

Como Tratar a Esteatose Hepática?

Inicialmente se for grau 1, a perda de peso e o exercício físico são o tratamento, se for tipo 2 nós temos que tratar as complicações e passa também pela perda de peso.

Não espere que fique uma doença avançada, de evolução longa, trate o mais rápido possível.

Existem causas congênitas que nós podemos definir que também aparecem em magro mas é isso é exceção. A grande maioria é por depósito de gordura consequente a obesidade mórbida ou sobrepeso mesmo.

Prevenção a Esteatose Hepática

A perda de peso funciona muito bem nessa grande parte da população. Poderíamos dizer que pode ser uma profilaxia, um tratamento uma vacina, para o câncer de fígado que vai ter daqui a 20-30 anos.

A doença é de uma evolução muito triste e que merece ser tratada com atenção porque o desfecho final pode ser muito triste. Vamos procurar e vamos tratar.

Não quero assustar, mas estamos muito preocupados com esse problema atual.

O que são nódulos hepáticos? Entenda mais clicando aqui!

Deixe o seu comentário e compartilhe o conteúdo!

Até a próxima!

2 Comentários
  1. Shirley

    Boa tarde Dr

    E quando não se verifica nós exames de imagem a esteatose, com enzimas normais. Porém e a ferretina é sempre alta e dislipidemia. Nesse caso trata-se da esteatose e também tem o mesmo risco? Obrigada

    Responder
    • Equipe Prof. Luiz Carneiro

      Olá, Shirley. Agradeço pela mensagem! Infelizmente não tenho como ajudar sem ter os exames em mãos e acompanhamento médico pessoalmente.

      Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + cinco =

Prof. Dr. Luiz Carneiro
Sobre o Autor

Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

GoogleMyCitations

 Cv Lattes

ResearcherID

ORCID

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro

Posts Relacionados

× Agendar Consulta.