Esofagite e refluxo: causas e tratamentos

Nós temos três musculaturas no esôfago, que são:

Esfíncter superior do esôfago, situado na entrada do esôfago, perto do céu da boca;
Corpo do esôfago, situado no tórax;
Esfíncter inferior do esôfago, onde o esôfago vai desembocar e deixar o alimento entrar no estômago.

Esofagite x refluxo

A esofagite, que é a inflamação do esôfago, órgão que liga nossa boca ao estômago, ocorre através da doença do refluxo gastroesofágico. O refluxo é causado por uma falha na musculatura, onde o esfíncter inferior do esôfago não tem um fechamento completo.

O esfíncter inferior é parecido com uma rolha. Ele abre para o alimento ingerido descer e fecha para o conteúdo do estômago não voltar. O conteúdo do estômago é ácido e serve para digerir toda a comida que ingerimos. Caso esse conteúdo volte, o esôfago irá lesionar, pois não possui um revestimento apropriado para esse ácido. Esse ácido tritura a comida e fraciona para que ela possa ir para à diante e virar fonte energético do nosso corpo.

A esofagite ocorre quando o esfíncter está insuficiente e fraco permitindo a volta do ácido do estômago para o esôfago, causando a inflamação no esôfago.

 

Hérnia de hiato > refluxo > esofagite

Outra causa muito importante é a hérnia de hiato. A hérnia de hiato ocorre quando o esôfago inflama e puxa o estômago para dentro da cavidade torácica, também favorecendo o refluxo do ácido do estômago para o esôfago, dando a esofagite.

 

Como ocorre o refluxo?

O refluxo ocorre quando existe muita gordura abdominal, grande pressão na barriga que acaba forçando o estômago, e quando você deita, o conteúdo do estômago acaba chegando ao esôfago.

Por exemplo, o mesmo ocorre quando você pega uma garrafa que tenha um conteúdo dentro e seja de gargalo fino. Ao deitar essa garrafa, o conteúdo volta para o gargalo. Isso acontece com a gente também.

 

Sintomas

Quando acontece o que descrevemos acima, os sintomas podem ser diversos, como:

  • Azia;
  • Queimação;
  • Gosto ácido na boca;
  • Rouquidão;
  • Alteração da corda vocal;
  • Alterações no ouvido;
  • Problemas respiratórios;
  • Pneumonia ou pneumonite.

Como tratar?

O ácido do estômago que vai para o esôfago deve ser tratado com cuidados dietéticos.

Alimentos como gordura e fritura estimulam a produção do ácido para digerir esse alimento pesado e acabam ficando por mais tempo no estômago, facilitando o retorno do ácido para o esôfago.

O tratamento é basicamente clínico, como:

  • Perda de peso;
  • Dieta fracionada que não propicie o retorno do ácido;
  • Medicamentos que diminuam a produção.

Clique no sino do canto inferior direito para receber notificações!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

agsdi-whatsapp
Share This