Home » Refluxo gastroesofágico (DRGE): Como funciona a cirurgia?

Profº Luiz Carneiro D'Albuquerque - CRM: 22.761

Cv Lattes   GoogleMyCitations  ResearcherID  ORCID

Última atualização em 27/07/2020 por Prof Luiz Carneiro

Refluxo gastroesofágico (DRGE): Como funciona a cirurgia?

O refluxo gastroesofágico (DRGE), conhecido também como doença do refluxo gastro esofágico, é caracterizado pelo retorno patológico do conteúdo gástrico para o esôfago. Entre o estômago e o esôfago existe uma válvula, que fica responsável por controlar esse processo. Muitas vezes, essa válvula se abre quando o indivíduo ingere qualquer alimento, causando a doença, assim com sintomas de azia ou queimação.

Para muitas pessoas, essa condição é um pouco mais grave, e por isso acaba exigindo tratamentos mais amplos, como por exemplo, o tratamento cirúrgico. Continue lendo para esclarecer suas dúvidas sobre a cirurgia de refluxo gastroesofágico.

Tratamento cirúrgico da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)

Devido às complicações que podem surgir quando o conteúdo estomacal, composto pelos alimentos e o suco gástrico, retorna pelo esôfago, o refluxo gastroesofágico precisa receber o tratamento adequado.

A mudança de hábitos alimentares e o uso de medicamentos indicados pelo médico especialista são algumas formas de tratar a doença. A cirurgia também é um tipo de tratamento, e precisa estar bem estabelecido e documentada sua necessidade, assim apresenta grandes chances de sucesso.

O procedimento cirúrgico é indicado quando os medicamentos e a alimentação adequada surtiram bom resultado, mas paciente permanece com sintomas e com refluxo patológico.

 

O procedimento

A cirurgia poderá ser realizada de maneira convencional (aberta), por meio de laparoscopia ou robótica, indicada para pacientes que respondem bem ao tratamento clínico, por meio de medicamentos e alimentação saudável, conforme dito anteriormente, ou quando a repetição do refluxo gastroesofágico provoca esofagite grave e alterações na mucosa do esôfago.

A laparoscopia é uma técnica que obteve grande evolução, e tornou-se um tratamento menos invasivo, pois já não é mais necessário fazer cortes grandes no abdômen para a reconstrução da válvula anti refluxo.

São feitas pequenas incisões para a introdução dos equipamentos necessários. As imagens são obtidas por meio de uma microcâmara. Deste modo, o cirurgião acompanha todo o procedimento através de um monitor, e consegue realizar as intervenções.

Por ser um tratamento menos agressivo, a recuperação do paciente acontece de forma rápida. Mas, é preciso aplicar anestesia geral, e assim o paciente deve ficar pelo menos um ou dois dias internado.

Clique no sino do canto inferior direito para receber notificações!

8 Comentários

  1. Luciano Cavalcante da silva

    Estou sofrendo muito com refluxo, tomo vários medicamentos e mesmo assim tenho crises terriveis de tosse onde muitas vezes só para com codeina, isto tem comprometido em muito as minhas noites de sono.

    Responder
    • Equipe Prof. Luiz Carneiro

      Olá, Luciano. O ideal é seguir todas as recomendações do médico que lhe acompanha para evitar maiores complicações.

      Responder
    • Leticia

      Eu tenho hipotonia do esfincter superior e inferior porém tenho muito refluxo e engasgo anoite mas tô sem esofagite cicatrizou porém tô com gastrite leve que não cura faz faz 6 meses tô tomando prazois direito essa gastrite leve de antro a causa dela seria da hipotonia do esfincter

      Responder
  2. Daniel

    Caro doutor eu fui diagnosticado com hipotonia do esfíncter inferior, não tenho hérnia de iato, o refluxo me causou um esôfago de barret que agora depois de 8 meses de tratamento está controlado, o que devo fazer.
    Meu médico falou sobre um balão que insere umas agulhas que estimula os músculos por rádio frequência

    Responder
    • Equipe Prof. Luiz Carneiro

      Olá, Daniel. De início, acredito que o melhor a se fazer seja seguir as recomendações do seu médico e realizar o procedimento descrito acima.

      Espero ter ajudado.

      Responder
      • Simone Toledo

        Fiz a cirurgia do refluxo a 3 anos, melhorou muito…Gostaria de saber se essa cirurgia causa algum dano no intestino?

        Responder
        • Equipe Prof. Luiz Carneiro

          Olá, Simone. Primeiramente, agradeço pelo comentário. Infelizmente não tenho como responder essa questão de forma precisa, pois cada caso é um caso.

          Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + quatro =

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro
× Agendar Consulta.