Conheça os sintomas que indicam cirrose e descubra como tratar

Última atualização em 13/07/2021 por Prof Luiz Carneiro
• Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Home » Conheça os sintomas que indicam cirrose e descubra como tratar

O que é cirrose?

A cirrose é uma doença crônica que se desenvolve lentamente. É caracterizada pela formação de fibrose, um tipo de tecido cicatricial formado a partir de lesões hepáticas, e por nódulos no fígado.

A imagem mostra um doutor com as duas mãos viradas com a palma para cima e uma ilustração digital do fígado um pouco acima das mãos.

No post de hoje, você vai conhecer os sintomas que indicam a cirrose e descobrir qual a melhor forma de tratar a doença. Acompanhe!

Quais as causas da cirrose?

Podemos dizer que a cirrose se desenvolve a partir de lesões sofridas pelo fígado. As mesmas afetam diretamente as células saudáveis, prejudicando o funcionamento do órgão.

Mas, a doença também pode ocorrer por conta de outros fatores, relacionados aos hábitos de vida. Entre as principais causas da cirrose, estão:

Bebidas alcoólicas em excesso

O consumo de bebida alcoólica em excesso é uma das principais causas da cirrose hepática, uma vez que esse é um tipo de substância metabolizada pelo órgão quando ingerida em grandes quantidades, provocando danos em seus tecidos.

Gordura no fígado

O acúmulo de gordura ou esteatose, associado a doenças metabólicas, diabetes, obesidade, entre outros, dificulta a metabolização dos alimentos ingeridos, e neste caso, se não for tratada com dieta e perda de peso, pode levar à cirrose.

Hepatite C

Outra causa de cirrose hepática é a hepatite C, que surge através do vírus VHC e provoca inflamação no fígado e danos que evoluem lentamente.

Hepatite B

A hepatite B já foi uma das causas mais comuns de cirrose no mundo, antes da vacinação. Ela é provocada pelo vírus VHB, que toma o organismo e aos poucos se multiplica, gerando a inflamação do fígado.

Além de todas as causas citadas acima, ainda temos a hepatite autoimune e o uso prolongado de medicamentos, que também podem provocar a doença.

Hepatite auto imune

A hepatite autoimune é uma condição do próprio organismo do indivíduo, mais precisamente quando o sistema imunológico não está funcionando corretamente, reconhecendo assim as células do fígado como invasoras, atacando-as.

Já o uso prolongado de medicamentos pode causar reações, devido a longa exposição do fígado a todas as substâncias ingeridas. Em geral, são considerados os antibióticos, antipsicóticos e substâncias usadas no tratamento de câncer.

Os tipos de cirrose existentes

De acordo com a causa e a maneira como se manifesta, a cirrose hepática pode apresentar variações, ou seja, existem alguns tipos da doença, entre eles:

Cirrose biliar primária

Nesse caso provocada por uma anormalidade no sistema imunológico, que leva ao surgimento de inflamações e destruição dos ductos biliares, responsáveis pela digestão de gordura e absorção de nutrientes.

Cirrose biliar secundária

Alteração do fígado decorrente de uma lesão hepática principalmente por lesão iatrogênica de vias biliares. Porém, pode surgir com outros problemas, como obstrução crônica de vias biliares e uso de medicações.

Cirrose alcoólica

Ocorre devido ao uso excessivo de bebida alcoólica, sendo classificada como doença hepática alcoólica avançada, e responsável pelo surgimento de fibrose ou nódulos.

Cirrose pós-necrótica

Relacionada com necrose e caracterizada pela morte das células de parte do fígado, muitas vezes por conta do uso abusivo de medicamentos, pós hepatites agudas (toxicas, hepatites virais, isquêmicos, entre outros)

Os principais sintomas de cirrose

A cirrose hepática prejudica não apenas o funcionamento do fígado, como também todo o organismo, pois ele acaba sentindo os prejuízos causados pela perda das funções do órgão.

Quando ainda está em seu início, os sintomas de cirrose mais comum são: a fadiga, perda de apetite, perda de peso, náuseas, pele amarelada, dor abdominal, queda de cabelo, perda de energia e inchaço.

Conforme a doença evolui, surgem outros sintomas que indicam que a cirrose já está em um estágio avançado. Assim sendo, o indivíduo pode apresentar complicações, como por exemplo:

  • Alterações renais;
  • Varizes de esôfago;
  • Encefalopatia hepática;
  • Tumor no fígado.

Como é feito o diagnóstico?

Geralmente, o gastroenterologista ou hepatologista avalia o histórico de saúde do paciente, analisando o estado do fígado com a realização de exames de imagem, como o ultrassom. Muitas vezes, a biópsia também se faz necessária para avaliar o tecido do órgão.

Tratamento e prevenção

A melhor forma de curar os danos causados pela doença no fígado é através do transplante de fígado. Porém, o tratamento indicado sempre envolve a eliminação do agente agressor.

Desta forma, então, o médico indica ao paciente que ele adote hábitos saudáveis para conter a evolução do problema, e realize sempre um acompanhamento com especialista.

O consumo de álcool em excesso deve ser evitado, como uma forma de prevenir a cirrose alcoólica. Aqueles que possuem o vírus da hepatite, deverão tratar a infecção de maneira correta.

Com relação às refeições, o ideal é se alimentar moderadamente, evitando o excesso de fritura, refrigerantes, carne vermelha e sal. É importante manter uma dieta menos gordurosa e natural.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre cirrose, conte-nos o que achou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário para que possamos te ajudar! Compartilhe também com seus amigos e até a próxima!

0 comentários
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 10 =

Prof. Dr. Luiz Carneiro
Sobre o Autor

Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

GoogleMyCitations

 Cv Lattes

ResearcherID

ORCID

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro

Posts Relacionados

× Agendar Consulta.