Hepatite B: Entenda como ocorre a transmissão e como tratar


• Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Home » Hepatite B: Entenda como ocorre a transmissão e como tratar

A hepatite B é uma doença infecciosa provocada pelo vírus B da Hepatite (VHB), que atinge o fígado e pode ser sexualmente transmissível.

A imagem mostra um doutor falando e apontando para uma prancheta e uma pessoa ouvindo.

Mas, será que esse vírus é transmitido apenas por meio da relação sexual desprotegida? No post de hoje, falaremos um pouco mais sobre as causas da doença e como ela deve ser tratada. Acompanhe!

A Hepatite B apresenta sintomas?

Em geral, os sintomas de Hepatite B surgem aproximadamente 40 dias após a contaminação.

Podemos dizer, então, que os principais sintomas de Hepatite B são:

  • Cansaço;
  • Tontura;
  • Enjoo;
  • Vômito;
  • Falta de apetite;
  • Febre;
  • Dores abdominais.

Outros sintomas como pele e olhos amarelados, fezes claras e urina escura também podem indicar o desenvolvimento da doença.

Em alguns casos, o indivíduo não manifesta nenhum sintoma. Mas, ainda assim, o vírus continua no organismo e pode ser transmitido.

Quais são os sintomas de problemas no fígado mais comuns? Clique aqui e saiba mais!

As fases da Hepatite B

São duas as fases da Hepatite B, que se diferenciam de acordo com a evolução de cada uma, sendo elas: fase aguda e fase crônica.

Hepatite B aguda

A fase aguda da doença pode durar até seis meses, uma vez que o sistema imunológico atua no combate ao vírus.

A maior parte das pessoas adultas que apresentam a doença nesse estágio não manifestam sintomas.

Hepatite B crônica

Já a fase crônica pode durar por anos ou até mesmo a vida toda, uma vez que o indivíduo não conseguiu eliminar o vírus durante os primeiros seis meses.

Isso acontece quando o sistema imunológico não consegue combater esse tipo de infecção. Então, esse estágio da doença pode levar a um quadro de cirrose ou câncer de fígado.

A transmissão da doença

O vírus da Hepatite B costuma ser encontrado no sangue ou em secreções vaginais, sêmen e até no leite materno. Assim sendo, podemos destacar como os principais meios de transmissão:

  • Relações sexuais desprotegidas (sem preservativo);
  • Compartilhamento de objetos de higiene pessoal, como instrumentos de manicure, pedicure, lâminas de depilação, entre outros.
  • Contato com secreção de um indivíduo contaminado;
  • Uso de materiais contaminados com sangue ou secreção, como por exemplo, seringas (bastante utilizadas em uso de drogas) aplicadas na veia diretamente, ou outros instrumentos que são usados para fazer acupuntura, tatuagem e piercings.
  • Mesmo sendo menos frequente, durante o parto ou amamentação pode acontecer a transmissão.

Diagnóstico de Hepatite B

A principal forma de diagnosticar o vírus da Hepatite B é através de exame de sangue, que ajuda a detectar a presença do VHB e sua quantidade, para que o médico especialista possa indicar o tratamento.

Então, é feita uma pesquisa relacionada à presença ou ausência de antígenos (ag) e anticorpos (anti) no sangue, podendo apresentar possíveis resultados como:

HBsAg reagente ou positivo

Aponta infecção pelo vírus da Hepatite B.

HBeAg reagente

Significa alto grau de replicação do vírus e um risco maior de transmissão.

Anti-HBS reagente

O anti-HBS reagente indica a cura ou imunidade contra o vírus.

Anti-Hbc reagente

E o anti-Hbc reagente aponta uma exposição prévia ao vírus.

Como funciona o tratamento?

O tratamento para a Hepatite B em fase aguda inclui hidratação, dieta, repouso e deve-se evitar bebidas alcoólicas. Se necessário, o médico pode indicar medicamentos para aliviar os sintomas.

Nos casos de Hepatite B crônica, além de evitar bebidas alcoólicas e manter uma dieta saudável, o tratamento é feito com medicamentos antivirais, para ajudar a prevenir as lesões irreversíveis do fígado.

Em alguns casos, quando o fígado foi seriamente danificado pelo vírus, o transplante poderá complementar o tratamento.

O que são nódulos hepáticos? Clique aqui e entenda!

Você já teve Hepatite B ou conhece alguém que já sofreu com a doença? Conte-nos como foi o tratamento e qual foi o resultado.

E não esqueça, toda terça-feira tem um novo conteúdo aqui em nosso blog!

Até lá!

0 comentários
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 2 =

Prof. Dr. Luiz Carneiro
Sobre o Autor

Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

GoogleMyCitations

 Cv Lattes

ResearcherID

ORCID

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro

Posts Relacionados

× Agendar Consulta.