Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761

Esôfago de Barrett: sintomas e tratamento

Esôfago de Barrett

O esôfago tem uma mucosa que é revestida por um epitélio, revestimento que é preparado para receber os alimentos que passam para o estômago. Esses alimentos vêm com a saliva que é alcalina e o PH é básico. Quando chega ao estômago, tem que ter ácido para digerir o alimento e então, o estômago tem uma mucosa preparada para receber ácido.

Quando você tem um refluxo, o ácido volta para o esôfago que não está preparado para receber ácido e leva a uma inflamação que forma a esofagite.

Dependendo da intensidade do tempo dessa esofagite, o esôfago tenta se proteger e há um crescimento das células do estômago para o esôfago. Na tentativa de se defender do ácido, o esôfago passa a formar um revestimento com células que vem do estômago, isso é chamado de esôfago de Barrett.

O esôfago de Barrett pode dar como contiguidade, uma coisa que sobe do estômago para o esôfago, ou pode dar também como ilhas, pode tentar implantar células distantes do estômago. Os mais comuns são as fileira, algumas colunas de Barrett.

Tratamento para esôfago de Barrett

Nós sabemos que existe uma incidência eventual de tumor nessa mucosa. Então, o tratamento do Barrett teoricamente seria interromper o refluxo de ácido do estômago para o estômago.

Isso pode ser feito bloqueando a produção do ácido usando-se bloqueadores da bomba de próton, os remédios que fazem a supressão do ácido pelo estômago, e também o uso de antiácidos que são substâncias que vão neutralizar o ácido e melhorar os sintomas.

Dependendo do grau e do tempo de evolução, existe uma pequena incidência do desenvolvimento de tumores malignos nessa região. É uma incidência pequena, mas existe.

Então, se o doente tiver em longo prazo um Barrett, ele precisa fazer segmentos e endoscopia com muita frequência. Se isso é feito, pode se diagnosticar um pequeno tumor, eventualmente é muito raro, mas pode. Se tiver em uma fase muito inicial, pode ser tratado por via endoscópica, por exemplo.

A causa do refluxo pode ser tratada pela cirurgia da hérnia de hiato, cirurgia da doença do refluxo gastroesofágico. Uma válvula anti-refluxo que pode resolver o problema do refluxo. Assim, nós podemos ver se o Barrett regride ou tem uma diminuição.

De qualquer maneira, é necessário um segmento endoscópico em longo prazo para que se tenha certeza que nessa mucosa atípica, agora no esôfago, nada de anormal acontece.

Foto Links Úteis | Prof. Dr. Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Num laudo endoscópico foi citado o sintoma . Bom relato. Fiquei satisfeito, mesmo sendo leigo e com 4 anos de estudo. Entendi. Grato pela sua colaboração. Satisfeito. Abraço. Sucesso.

Prof Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
CONTATO
Atenção: O site https://profluizcarneiro.com.br/ é uma espaço de informação e orientação médica de qualidade, nunca poderá substituir a consulta de um profissional médico que é a única pessoa capaz de realizar o diagnóstico real.

© 2021 Prof. Dr. Luiz Carneiro. Todos os direitos reservados. Desenvolvido com ♥ em WordPress por SuryaMKT

magnifiercross