Home » Afinal, como funciona o pós-operatório da cirurgia bariátrica?


Profº Luiz Carneiro
Cv Lattes    GoogleMyCitations   ResearcherID   ORCID
CRM: 22.761
 

Afinal, como funciona o pós-operatório da cirurgia bariátrica?

A imagem mostra um doutor com um celular na mão esquerda e na mão direita, ele faz o sinal do número um.

A cirurgia bariátrica, também conhecida como redução de estômago, é indicada para os casos em que não houve sucesso com outros tratamentos para obesidade, como o acompanhamento nutricional, com médico endocrinologista e a prática de atividades físicas.

Embora o procedimento em si não seja considerado como complexo, traz um grande Impacto para o organismo porque reduzimos significativamente a capacidade do estômago de comportar alimentos.

Consequentemente, é fundamental um rigoroso cuidado no pós-operatório para evitar desidratação, desnutrição e para manter o equilíbrio da saúde mental.

A recuperação não é complicada, mas é fundamental ter disciplina seguindo rigorosamente as instruções do médico. Isso garante a boa cicatrização dos tecidos, bem como a adaptação do organismo a sua nova condição. Trata-se de um processo que leva meses, por isso, preparamos este artigo.

Continue lendo para entender um pouco sobre o pós-operatório da cirurgia bariátrica e a importância de seguir adequadamente as instruções da equipe multidisciplinar.

Primeiros dias de pós-operatório

Logo no primeiro dia após a realização da cirurgia bariátrica o paciente precisará se manter em jejum. São adotadas medidas para evitar complicações como a trombose, e ele recebe medicações para que não sinta dores ou desconfortos.

Quando é realizada a cirurgia por videolaparoscopia o paciente tem mais autonomia para se levantar, se sentar ou usar o banheiro. No caso da cirurgia aberta é preciso um pouco mais de cuidado em função da extensão da sutura, havendo necessidade de um repouso maior.

Introdução da alimentação líquida

Geralmente no segundo dia o paciente começará a receber alimentos, porém apenas líquidos, em porções fracionadas e pequenos volumes. Seu estômago vai comportar cerca de 50 a 200 ml, daí a necessidade de se alimentar diversas vezes de poucas quantidades.

Nesse momento é muito importante manter somente essa dieta líquida para que não haja comprometimento da linha de sutura. Entretanto, o paciente é recomendado a ingerir essa alimentação com regularidade para garantir nutrientes ao organismo, a hidratação dele e evitar a formação de cálculos renais ou trombose.

Mês de recuperação do pós-operatório da cirurgia bariátrica

O primeiro mês após a realização da cirurgia bariátrica é voltado para a recuperação e proteção do organismo. Por isso, cerca de 15 dias depois do procedimento, dependendo da evolução do paciente, é possível dar início à introdução de alimentos pastosos.

Uma vez que o paciente não consegue ingerir refeições volumosas, é essencial que ele dê preferência para os alimentos nutritivos e naturais. Desse modo oferece para o organismo as substâncias que ele precisa para se manter saudável. A dieta branda é essencial para que aos poucos o corpo recupere as suas funções digestivas normais.

Gradativamente, e ainda de acordo com a recuperação de cada paciente, é possível introduzir os alimentos sólidos. É preciso ingerir pequenas quantidades de alimentos saudáveis e nutritivos, fáceis de digerir.

Suplementação nutricional

Após a cirurgia bariátrica o organismo pode ter um pouco mais de dificuldade para absorver nutrientes no primeiro momento. Além disso, como a dieta é mais restrita ele não receberá as substâncias que precisa para se manter saudável, então, é realizada a suplementação nutricional, geralmente para todos.

É indicado um complexo vitamínico, incluindo vitaminas do complexo B. No caso das mulheres pode ser necessário uma atenção especial com a administração de cálcio e vitamina D. Elas também requerem uma atenção especial para prevenir a anemia.

Atenção especial às mulheres após cirurgia bariátrica

Para muitas mulheres há uma alteração em seu fluxo menstrual após a realização da cirurgia bariátrica, o que está relacionado com a redução da gordura corporal e a produção do estrogênio. Nesse caso, ocorre um aumento do fluxo.

Por isso, pode ser necessário fazer a suplementação de ferro, a fim de evitar anemia, uma vez que esse mineral é perdido durante a menstruação. Quando necessário, pode ser recomendado interromper o fluxo menstrual com a administração de anticoncepcionais injetáveis ou adesivos.

Atendimento multidisciplinar

Uma vez que a ingestão de alimentos é o que regula as funções orgânicas, o paciente que realiza a cirurgia bariátrica precisa ser atendido por uma equipe multidisciplinar. Além do especialista em aparelho digestivo, também pode ser necessário acompanhamento com endocrinologista, nutricionista, psicólogo ou psiquiatra.

Devido à redução do volume do estômago, é preciso adequar a dieta às necessidades de cada pessoa, daí a importância do nutricionista. Algumas, por causa dessa alteração drástica em seus hábitos alimentares, podem experimentar alterações de ordem psicológica. Elas também ocorrem por causa das mudanças no estilo de vida e no próprio corpo.

Em alguns casos o acompanhamento se inicia mesmo antes da realização da cirurgia, para que a pessoa possa tomar uma decisão consciente e estar bem preparada para sua fase de recuperação e adaptação no pós-operatório. Lembrando que esse cuidado agora deve ser mantido por toda a vida.

Reações esperadas no pós-operatório

É comum o paciente, após a cirurgia bariátrica, sentir dores no abdômen. Também pode ter eventos de náuseas, vômitos e diarreia com frequência, em especial após as refeições. Esses desconfortos são minimizados com a ingestão de uma alimentação saudável e a administração de todos os medicamentos receitados pelo especialista.

A prática de atividades físicas e o retorno à rotina normal acontece gradativamente de acordo com a recuperação de cada pessoa. Sendo assim, não existe uma regra, mas é fundamental consultar o médico e apenas fazer esse retorno conforme a orientação dele.

 
 

         por Dr. Luiz Carneiro D'Alburquerque

CRM 22.761    

 

 

 

 

 

 

      por Dr. Luiz Carneiro

D'Albuquerque

CRM 22.761    

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
× Agendar Consulta.