Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

A Cirrose tem cura? Entenda!

O fígado é o órgão responsável por participar do processo de metabolização e aproveitamento de nutrientes de quase tudo o que ingerimos. Quando existe um desequilíbrio na alimentação e substâncias ingeridas, ocorre uma lesão conhecida como cirrose.

a cirrose tem cura entenda prof dr luiz carneiro bg Prof Dr. Luiz Carneiro

Quer entender um pouco melhor sobre a doença, suas possíveis causas, os sintomas e se existem chances de cura? Então acompanhe o post a seguir!

Como ocorre a cirrose?

A cirrose é uma doença que ataca o fígado e é caracterizada pela formação de nódulos e fibrose, isto é, um tipo de tecido cicatricial. Isso ocorre quando as células hepáticas sofrem graves lesões e se desenvolvem de maneira lenta.

Esse tecido fibroso prejudica o funcionamento do fígado, bloqueando e dificultando a circulação de sangue. Desta forma, o órgão não consegue mais desempenhar o seu papel.

Quais as principais causas da cirrose?

Conforme dissemos, a cirrose pode se desenvolver por conta de lesões no fígado, que podem ocorrer por diversos fatores.

Entre os fatores que contribuem para o desenvolvimento dessa condição, podemos citar:

Consumo de álcool em excesso

Uma das causas mais comuns da cirrose é o consumo excessivo de álcool. Isso ocorre pois tal substância é metabolizada pelo fígado.

Hepatites

Hepatites como B e C, por exemplo, são causadas por um vírus. Já a hepatite autoimune é uma condição em que o próprio sistema imunológico da pessoa ataca as células do fígado, confundido elas com células invasoras, provocando uma inflamação crônica e resultando em fibrose.

Esteatose hepática

A esteatose hepática é mais conhecida como gordura no fígado.

Ela está associada com diabetes, obesidade, e colesterol alto.

Além disso, a cirrose também pode surgir por conta do uso prolongado de alguns medicamentos específicos, metabolizados pelo fígado. 

Outra causa que podemos citar é a hemocromatose, doença hereditária que é caracterizada pelo acúmulo de ferro no organismo. 

E quais são os sintomas de cirrose?

Como vimos, a cirrose não permite que o fígado funcione de maneira saudável e todo o organismo é prejudicado com a perda de suas funções. 

Dentre os sintomas da doença estão :

  • Pele amarelada (icterícia);
  • Mal-estar e fraqueza ;
  • Acúmulo de líquido no abdômen (Ascite).

Em estágios mais avançados:

  • Sangramento digestivo (varizes no esôfago) ;
  • Confusão mental e tremores (Encefalopatia Hepática).

Vale ressaltar que alguns pacientes podem apresentar poucos sintomas até chegar aos estágios mais avançados. Além disso, também é um fator de predisposição para câncer de fígado - hepatocarcinoma. 

Tenho cirrose, o que devo fazer?

Primeiro, é importante consultar o médico para a realização de exames diagnósticos. Em geral, é realizada a entrevista para conhecimento do histórico e fatores de risco do paciente, o exame físico, e os exames de sangue.

Exames de imagem como o ultrassom e a tomografia computadorizada também auxiliam na investigação da doença. Em determinados casos, uma biópsia pode ser necessária.

Existe cura para a cirrose?

Não existe uma forma de tratar os danos já provocados ao fígado. 

As medidas tomadas têm como objetivo evitar a progressão da doença e controlar os sintomas e podem variar de acordo com a causa da cirrose. 

Além disso, será necessário o acompanhamento multidisciplinar com uma equipe médica, contando com o auxílio de hepatologista, nutricionista e psicólogo.

O único tratamento curativo disponível é o transplante de fígado. 

Porém ele é indicado quando a cirrose já está em estágio mais avançado, para pacientes que se enquadram entre os critérios.  

Se você possui alguma dúvida sobre o assunto, comente abaixo! 

Conhece alguém que precisa dessas informações? Compartilhe o conteúdo de hoje!

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down