Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Tratamento da Síndrome do Intestino Curto: Critérios e Opções

A síndrome do intestino curto é uma condição complexa que envolve a perda significativa do intestino, apresentando desafios nutricionais.

Neste vídeo, o Prof. Dr. Luiz Carneiro, Cirurgião do Aparelho Digestivo, fala sobre o tratamento e as opções disponíveis para pacientes com síndrome do intestino curto, explorando a complexidade dessa condição e a importância da válvula ileocecal. Confira!

Critérios para o tratamento desta síndrome

A questão é bastante complexa porque os portadores da síndrome do intestino curto, seja em crianças ou adultos, tiveram a perda do intestino. Geralmente, o intestino possui 3 metros, 4 metros, e nesses casos, as pessoas perderam parte do intestino, ficando, por vezes, com apenas 20, 30 centímetros ou até menos, devido à doença, já que nesses casos foi necessário remover o restante do órgão afetado pela doença.

Como funciona a alimentação desses pacientes?

Esses pacientes precisam se alimentar, e o intestino que restou é insuficiente para suprir a necessidade de calorias e absorção de proteínas, entre outros nutrientes, que o paciente requer, nessas situações, são aplicadas técnicas radiológicas para medir o comprimento do intestino residual. 

Válvula Ileocecal

A presença ou ausência da válvula ileocecal é determinante nesse contexto, essa válvula é responsável por permitir que a parte final do intestino delgado entre no ceco do intestino grosso. A válvula desempenha um papel crucial, regulando o fluxo de esvaziamento, sua manutenção é vital, mas frequentemente ela não está presente. 

Se o intestino medir até 40, 50 centímetros, de maneira geral, pode-se considerar que esses pacientes irão necessitar de alimentação intravenosa para sobreviver até que o intestino se recupere ou para manter essa forma de alimentação a longo prazo.

No Hospital das Clínicas, há pacientes que vivem há 10, 12 anos alimentando-se por via intravenosa, sem utilizar o intestino, contudo, esse tratamento é dispendioso e está ao alcance apenas de algumas pessoas. 

Transplante de Intestino

Uma possível solução seria o transplante de intestino. Aqueles que possuem um maior comprimento de intestino remanescente, como 70 ou 80 centímetros, passam por cirurgias para alongamento do órgão. Mesmo para os pacientes com 50 centímetros, embora as probabilidades sejam menores, realizamos o procedimento de alongamento do intestino.

Assim, esses pacientes podem levar uma vida com o intestino recuperado ou, alternativamente, consumir uma quantidade pré-definida de alimentos de qualidade especificada e complementar a dieta com nutrição apenas à noite.

Como avaliar o melhor tratamento?

Poucos centros têm experiência em lidar com isso, eu recomendo que você converse com seu médico para entrar em contato com esses centros que podem receber, e aí, programar uma série de exames para definir qual seria a melhor forma de tratamento para o seu caso.

Então, espero ter respondido e nós do Hospital das Clínicas, aqui em São Paulo, estamos às ordens se precisar. Mande notícias que nós faremos contato.

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down