Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Transplante de Fígado e Síndrome Metabólica

Fui indicado para o transplante de fígado e tenho síndrome metabólica. E agora?

Se já foi indicado o transplante, você vai fazer o transplante, que hoje tem uma sobrevida fantástica e vai se curar e ter uma vida normal. Mas se você tem gordura no fígado, que é a causa do NASH (Non-Alcoholic Steatohepatitis), é uma doença inflamatória do fígado que não é causada pelo álcool, então, você tem que mudar seus hábitos, porque a síndrome metabólica é uma caracterização! 

Continue nos acompanhando e descubra mais sobre o transplante de fígado e a síndrome metabólica!

Como saber se tenho doença Metabólica?

Você possui síndrome metabólica tendo 3 destes problemas a seguir:

  • Diabetes tipo 1 ou 2;
  • Hipertensão Arterial;
  • Alteração de Colesterol;
  • Triglicérides;
  • Alteração de Glicemia;
  • Circunferência abdominal maior que 96 em homem e 86 em mulher.

Qual o tratamento para Doença Metabólica?

O tratamento para parar com essa inflamação que é a caracterização da síndrome metabólica é perder peso!

Transplante de Fígado

Se a doença já inflamou e destruiu seu fígado, você tem que trocar o órgão!

Essa é a doença do momento. Nos Estados Unidos, onde foi descoberto o primeiro transplante, por volta de 2002/2003 e hoje já é a primeira causa de transplante no país. Isso por conta da obesidade ser uma epidemia, uma doença.

Nem todas as pessoas que têm obesidade têm síndrome metabólica, mas caso você tenha um dos problemas que citamos aqui anteriormente, você já tem síndrome metabólica!

Perda de peso e Cirurgia Bariátrica

Estes pacientes que têm alterações das transaminases, que são o AST, ALT e Gama GT, já tem a síndrome metabólica e precisam perder peso, e hoje, se o diagnóstico é feito em uma fase inicial, nós indicamos no doente que não perde peso, a cirurgia bariátrica, porque a perda de peso é o remédio, e tem pacientes que já tem fibroses e inflamações muito importantes e com a cirurgia bariátrica, essa inflamação pode regredir ou estabilizar.

Então, veja que perder peso e fazer exercício físico são muito importantes para diminuir a inflamação. Esse é o conjunto de medidas terapêuticas que podemos fazer. Mas para isso, converse com o hepatologista ou seu gastroenterologista e tire essa dúvida!

Operação

Caso você já tenha uma fibrose instalada em decorrência da inflamação, é melhor operar, porque também tem sido muito escrito sobre o surgimento de tumores malignos nestes fígados. Aqui no Hospital das Clínicas e no consultório temos transplantado muitos doentes que têm um câncer em uma inflamação, em um fígado doente por esteatohepatite que nem sabia que tinha.

Então, essa é uma lesão que é pré-maligna. Também existe uma incidência de câncer, que nós chamamos de grupo de risco. Quem tem cirrose por hepatite também está em grupo de risco.

Caso você tenha um dos sinais que citei, procure o médico, porque talvez se você tiver uma grande perda de peso, até mesmo com a bariátrica, você pode estabilizar seu problema hepático ou até resolvê-lo!

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down