Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Todo pólipo intestinal pode virar câncer de intestino?

A presença de pólipo intestinal é uma realidade que muitos indivíduos podem enfrentar à medida que envelhecem. Essas pequenas protuberâncias, embora inicialmente inofensivas, podem trazer riscos significativos de degeneração e transformação em câncer. No entanto, a medicina oferece ferramentas eficazes para prevenir, monitorar e tratar essas condições.

Neste texto discutiremos a relação entre o crescimento de pólipo intestinal, seu risco de degeneração em câncer e destacar a relevância da colonoscopia para prevenção e tratamento dos pólipos. Confira!

Relação entre o crescimento de pólipos e o risco de degeneração

O pólipo é uma verruguinha que vai crescendo e cada vez que ele cresce, na ponta, a circulação de sangue vai diminuindo, fazendo com que aquela área fique isquêmica, e a chance de ter uma mutação, uma alteração porque a lesão é isquêmica e a célula se alterar é muito grande.

Então, quanto maior o pólipo maior a chance de degeneração por uma lesão que é muitas vezes isquêmica por falta de circulação.

A importância dos exames na detecção e tratamento de Pólipos Intestinais

Se ao fazer os exames depois dos 45 anos você apresentar pólipos pequenos, não é preciso se preocupar, porque esses pólipos são adenomatosos e não têm mitose, não têm atipias.

Quando você não faz os exames e tem pólipos grandes, muitas vezes é preciso ressecar não só a base dos pólipos, porque o risco de ter na pontinha o câncer é muito pequeno, mas, quando ele é muito grande nós temos que fazer uma operação e tirar a base, procedimento que hoje se faz por colonoscopia também, mas, que antigamente tinha que abrir a barriga e tirar um pedaço do intestino, agora não.

Prevenção e monitoramento de Pólipo Intestinal

Então, o pólipos pode degenerar sim, pode virar câncer mas também tem solução. 

O exame preventivo, a colonoscopia periódica depois dos 45 anos ou 50 anos segundo alguns protocolos, deve ser feito de rotina em todo mundo e depois se for normal e não tiver pólipos, você pode fazer isso a cada 6/7 anos, esse é o protocolo europeu e americano. A recomendação é a cada 6/7 anos, mas se tirar o pólipos o tempo é menor.

Dependendo do número de pólipos do achado histológico, pode se repetir com uma frequência maior ou menor. Converse com o seu médico para definir o tempo certo. Mas o segredo de tudo é o tratamento para que a degeneração não aconteça, que é a colonoscopia feita de maneira rotineira.

Nós sabemos que os pólipos são pequenos e não têm displasia, então, essa é a grande vantagem de fazer a colonoscopia e removê-los sem nenhum risco.

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down