Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Tenho intolerância à lactose. É possível reverter?

A intolerância à lactose é um problema que ainda não tem cura, por isso, não pode ser revertido na maioria dos casos. Entretanto, quando se trata de uma condição secundária, tratando o problema de base é possível reverter a intolerância.

tenho intolerancia a lactose e possivel reverter prof dr luiz carneiro bg Prof Dr. Luiz Carneiro

A lactose é o açúcar que encontramos no leite. O organismo humano faz a digestão da lactose com o auxílio da lactase. Essa enzima faz a quebra das moléculas desse açúcar para que ele possa ser absorvido pelo corpo. 

Algumas pessoas apresentam uma baixa produção de lactase, e isso faz com que a lactose permaneça no intestino sem ser digerida. Essa situação pode desencadear uma série de sintomas desagradáveis, como cólicas, gases, diarreia e vômitos.

Quem tem intolerância à lactose, não pode ingerir leite e seus derivados, nem alimentos que contenham esses ingredientes, o que acaba limitando o cardápio. Por isso, muitos desejam saber se é possível reverter esse problema para voltar a consumir a lactose normalmente, e nós preparamos este artigo para esclarecer essa dúvida. Continue lendo para conferir a resposta.

Quais sãos os tipos de intolerância à lactose

Antes de tudo, é importante esclarecer que existe mais de um tipo de intolerância à lactose. A classificação é dada de acordo com a forma de manifestação desse problema.

Congênita

A intolerância à lactose é classificada como congênita quando a pessoa apresenta uma baixa capacidade de produção de lactase desde o seu nascimento. Também pode acontecer de o organismo não produzir essa enzima.

Primária 

Esse é um tipo de intolerância à lactose muito comum e que pode acontecer com qualquer pessoa. Com o passar do tempo, gradativamente, o organismo perde a capacidade natural de produzir a lactase. Isso pode acontecer mesmo em pessoas jovens, a partir dos 20 anos de idade e a redução da produção da enzima tende a se intensificar, aumentando a intolerância.

Secundária

A intolerância secundária é aquela causada por um determinado fator que faz com que o organismo perca a capacidade de produção da lactase. Isso acontece, por exemplo, em casos de doença de Crohn ou outros problemas intestinais, em função de cirurgias de ressecção intestinal, na doença celíaca, em quadros de diarreia infecciosa, desnutrição, e outros. 

A intolerância à lactose pode ser revertida?

Como você viu, na intolerância congênita, o organismo não consegue produzir lactase de maneira satisfatória, e esse problema não pode ser revertido porque se trata da condição natural da pessoa. Assim, será preciso conviver com a intolerância por toda a vida.

No caso da intolerância primária, o problema também não pode ser revertido, uma vez que o organismo está perdendo a capacidade de produzir lactase. Então, a pessoa também precisa se adaptar a essa sua nova condição, fazendo adequações gradativas na alimentação conforme as necessidades do seu corpo.

Na intolerância à lactose secundária, temos uma condição diferenciada. Existem casos em que ao tratar a doença que está causando a intolerância a pessoa pode voltar a produzir lactase em uma quantidade suficiente e consumir mais uma vez o leite e os seus derivados.

Em contrapartida, também pode acontecer de o organismo perder definitivamente a capacidade de produção de lactase. Sendo assim, em alguns casos é possível fazer essa reversão com o tratamento e cuidados necessários, mas apenas em situações especiais e quando se trata da intolerância secundária.

Como viver bem com a intolerância à lactose?

A melhor maneira de garantir qualidade de vida convivendo com a intolerância à lactose é fazendo adequações no cardápio com o auxílio de um nutricionista. Esse profissional, em parceria com o médico gastroenterologista, vai auxiliar o paciente a fazer uma reeducação alimentar para introduzir alimentos que não contêm lactose, garantindo uma dieta rica, saborosa, nutritiva e diversificada.

Hoje em dia existem diversas alternativas de ingredientes e alimentos que não contêm lactose, e também linhas especiais de produtos zero lactose que podem ser utilizados com total segurança pelos intolerantes.

Mais uma alternativa é a reposição da lactase com medicamentos. Entretanto, essa não é uma recomendação para uso contínuo. Os remédios podem ser tomados quando a pessoa souber que vai ingerir alimentos que contêm lactose, como em uma festa ou um restaurante. Nesse caso, a medicação é uma medida de segurança para evitar os efeitos negativos da lactose.

Reforçamos que é possível ter qualidade de vida e comer muito bem mesmo sendo intolerante à lactose. Embora esse problema não possa ser divertido na maioria dos casos, existem várias alternativas para você compor um cardápio balanceado, saboroso e diversificado para comer e cuidar da saúde ao mesmo tempo.

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down