Taxa de sobrevida pós-retransplante de fígado

Causas do retransplante

O retransplante de fígado é um assunto bastante complicado e complexo. É uma situação clínica bastante específica em que o paciente que transplantou perde o fígado por rejeição.

Isso é muito raro, porém, pode acontecer uma rejeição crônica e depois de algum tempo o fígado é destruído pelo próprio organismo. Quando isso acontece, é necessário realizar o transplante novamente e começar tudo do zero com novas drogas imunossupressoras.

Outro caso é quando o paciente tem uma complicação da anastomose (costuras do fígado) decorrente da má circulação, canal da bile fechado dando infecção de repetição com abscesso hepático, entre outros fatores.

Taxa de sobrevida do retransplante

De acordo com o Hospital das Clínicas, o transplante realizado em bons serviços do Brasil, a taxa de sobrevida é de 90% após um ano.

No retransplante, esse índice cai bastante em torno de 60% a 70% dependendo da causa. Portanto, é uma situação bastante complicada e complexa quando ele é crônico.

Nos casos agudos, a situação pode ser dramática, pois o doente colocou o fígado, ocorreu uma disfunção e o órgão não funcionou, sendo necessário trocar urgentemente.

Clique no sino do canto inferior esquerdo para receber notificações!

         por Dr. Luiz Carneiro D’Alburquerque

CRM 22.761    

 

 

 

 

 

 

 

      por Dr. Luiz Carneiro

D’Albuquerque

CRM 22.761    

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

× Agendar Consulta.
Share This