Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

O que fazer quando TGO e TGP estão elevados?

Os níveis de TGO e TGP podem alterar devido a diferentes fatores. Eles indicam em geral problemas no fígado. Quando ocorrem essas alterações, é fundamental fazer o acompanhamento médico e realizar todos os exames solicitados para que a investigação seja feita mais a fundo e o problema de identificado e tratado.

04 10 BLOG Prof Dr. Luiz Carneiro

Os biomarcadores exercem uma contribuição muito importante para monitorar a saúde dos órgãos. As enzimas TGO e TGP, por exemplo, possibilitam identificar alterações no funcionamento do fígado.

Seus níveis alterados acendem um sinal de alerta para uma inflamação em curso, permitindo investigar mais a fundo o que está acontecendo com o organismo. Mas o que fazer se os níveis dessas enzimas aumentarem e por que isso acontece?

Neste artigo você confere a resposta para essas perguntas. Continue lendo para conferir.

Qual é a função da TGO e da TGP?

Tanto a TGO quanto a TGP são transaminases, ou seja, enzimas que, como outras do organismo humano, são responsáveis por catalisar reações químicas, que acontecem dentro das células.

A TGO, ou transaminase glutâmico oxalacética, é produzida em diferentes órgãos, como nos rins, no fígado, no coração, no cérebro e ainda nos músculos. A TGP, ou transaminase glutâmico pirúvica, é produzida principalmente no fígado.

Por isso, além da função orgânica que essas enzimas realizam, elas também têm um papel muito importante no monitoramento da saúde. Seus níveis precisam estar dentro de um limite para serem considerados saudáveis. Quando elevados, indicam que existe alguma alteração nos órgãos em que são produzidas. Assim, TGO e TGP atuam como biomarcadores.

Quais são os níveis ideais de TGO e TGP?

Como explicamos, as transaminases TGO e TGP atuam em nível intracelular. Em níveis normais, essas enzimas se mantêm no interior das células, já que não existe nenhum comprometimento da membrana delas.

Quando ocorrem alterações nos órgãos em que essas enzimas são produzidas, as células não conseguem comportar a grande quantidade de enzimas, então, elas extravasam a membrana celular e são derramadas no sangue.

Níveis saudáveis de TGO estão entre 5 e 41 unidades por litro de sangue (U/L). Os níveis saudáveis de TGP ficam entre 7 e 56 U/L. 

Pequenas alterações, entre 50 e 100 U/L precisam de uma investigação mais a fundo para entender o que está provocando isso. Quando os níveis estiverem muito altos, entre 1.000 e 3.000 U/L, pode ser indício de uma doença hepática em curso.

Vale ressaltar que somente a alteração da TGO não permite identificar os problemas hepáticos, afinal, como dito, essa transaminase também é produzida em outras partes do corpo, logo, deve ser investigada em conjunto com a TGP. Essa segunda apresenta indícios mais fortes de problemas hepáticos, uma vez que é produzida em sua maioria no fígado, conforme explicamos.

O que fazer em casos de alteração na TGO e na TGP?

Como os níveis de TGO e TGP alteram quando ocorrem problemas no organismo, principalmente no fígado, alguns sintomas surgem em decorrência da doença de base. Assim, é possível perceber a ocorrência de:

  • icterícia;
  • fezes claras;
  • escurecimento da urina;
  • perda de apetite;
  • náuseas e vômitos.

Contudo, só é possível verificar se os níveis estão alterados por meio da realização de um exame de sangue. Logo, o médico é quem vai verificar essas alterações e recomendar aquilo que deve ser feito em seguida.

Diferentes problemas podem causar alterações na TGO e na TGP, como:

  • hepatites;
  • cirrose;
  • gordura no fígado;
  • uso de drogas ou medicamentos;
  • infarto;
  • pancreatite aguda;
  • isquemia cardíaca;
  • lesões musculares;
  • obstrução das vias biliares.

Portanto, ao paciente cabe realizar todos os exames solicitados pelo especialista para que a investigação seja feita de forma detalhada. Somente assim é possível identificar a doença de base para que ela seja devidamente tratada conforme a necessidade de cada pessoa.

Contar com o suporte do especialista é indispensável porque sozinho o paciente não pode resolver o problema. Então, faça o acompanhamento médico de rotina e, ao realizar um exame de sangue, leve o resultado para o médico avaliar.

Assim mesmo que haja uma pequena alteração na TGO e na TGP ele vai identificar que isso está acontecendo para que as medidas sejam adotadas o quanto antes, evitando o agravamento dos problemas de base. 

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down