Home » Hemangioma hepático: O que é e quais as formas de tratamento?


Profº Luiz Carneiro
Cv Lattes    GoogleMyCitations   ResearcherID   ORCID
CRM: 22.761
 

Hemangioma hepático: O que é e quais as formas de tratamento?

Muitas pessoas, quando ouvem falar em Hemangioma hepático, não sabem exatamente ao que se refere este termo. No post de hoje, esclareceremos essa dúvida.

O hemangioma hepático é uma lesão benigna, formada no fígado em função dos vasos sanguíneos que se juntam e entrelaçam. Ele surge enquanto o embrião ainda está em processo de desenvolvimento no útero da mãe, ou seja, trata-se de um problema embrionário.

Na maioria das vezes, o indivíduo descobre a doença somente depois de anos, mesmo ela sendo na formação do embrião.

Para saber mais informações sobre o hemangioma hepático, bem como as principais formas de tratamento, continue nos acompanhando.

Sintomas de Hemangioma hepático

Nem sempre os indivíduos que apresentam hemangioma hepático irão perceber os sintomas do tumor em seu fígado, pois muitas vezes a doença não manifesta nenhum tipo de sinal, e o tumor se mantém do mesmo tamanho por muito tempo.

Mas, assim como os outros tipos de tumor, pode acontecer de o problema se agravar. De qualquer forma, raramente o médico especialista irá solicitar algum exame específico para identificar o problema.

O que pode acontecer é que a doença seja diagnosticada em algum exame de rotina, ou seja, a lesão pode ser encontrada acidentalmente.

Mas, também pode haver casos mais graves, como quando o hemangioma atinge proporções maiores. Neste caso, podem surgir sintomas como: dor abdominal, febre, náuseas, saciedade e barriga inchada.

 

Principais formas de tratamento

Conforme dito anteriormente, quando o hemangioma hepático é pequeno, ele não provoca sintomas. Por conta disso, não será necessário um tratamento, mas sim um acompanhamento médico periódico e exames para controle.

A cirurgia pode ser indicada em alguns casos selecionados em hemangioma gigante. O hemangioma pode causar síndrome compartimental abdominal pelo seu tamanho, em casos extremos, quando o tumor é classificado como gigante, e interfere na saúde e qualidade de vida do paciente. Neste caso, pode ser indicado o transplante hepático.

Clique no sino do canto inferior direito para receber notificações!

5 Comentários

  1. Há 5 anos atrás numa us abdominal deu, pequenininho, mesmo depois desse tempo continua pequeno, vendo atraves de ressonância e tomografia

    Responder
  2. E sobre a hemangiomatose hepática? minhã mãe tem diversos hemangiomas espalhados pelo figado, um deles mede 3 cm, e ela apresenta hepatomegalia e indícios de alterações nas funções hepáticas. A presença de diversos nódulos pode levar a essas complicações ou deve estar ligada a outro problema? no caso dela, a rm indicou afilamento das veias supra hepáticas. Ficaria muito grata se o sr. pudesse dar algumas informações.

    Responder
  3. O senhor poderia falar um pouco sobre a hemangiomatose hepática? parece ser algo raro, não encontro informações…o único tratamento seria transplante?

    Responder
    • Olá, Jéssica. Agradeço pelo comentário! Tentarei fazer um vídeo falando a respeito.

      Abraços!

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
× Agendar Consulta.