Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761

Conheça a melhor técnica para corrigir hérnia inguinal

A hérnia inguinal possui riscos de crescer gradativamente até se tornar muito volumosa. E quando se torna muito grande, é bem difícil voltar para dentro de sua cavidade.

A cirurgia de hérnia inguinal é feita através de um buraco de 2 a 3 cm, sendo bem diferente de operar uma hérnia enorme.

Por que as telas são usadas na cirurgia de hérnia inguinal?

Atualmente, todas as cirurgias de hérnia são feitas com o uso de telas porque é um material que diminui a recidiva, ou seja, dificilmente a hérnia voltará depois da operação.

Antigamente, quando operávamos as hérnias sem o uso de telas e próteses, a recidiva era entre 15 e 30%, isso porque o tecido é fraco e mole, e não suporta uma costura permanente. Portanto, o uso de tela é recomendado em qualquer tipo de hérnia.

É importante saber que a única situação que não se usa a tela é nas crianças porque o tecido ainda não tem pouca resistência, então podemos operar sem precisar reforçar o tecido. Porém, nos adultos, mesmo aqueles jovens, o uso da tela é imprescindível, sendo um grande avanço na Medicina.

Técnicas de cirurgia para hérnia inguinal

Anestesia local

A cirurgia em hérnia pequena pode ser realizada através de anestesia local e tela para reforçar o tecido.

A tela usada em buracos de 2 cm é pequena, mas quando a hérnia possui de 10 a 15 cm, a tela terá de 20 a 30 cm, ou seja, é muito grande e por isso necessita de algumas técnicas para realizar a cirurgia.

O acesso á hérnia inguinal pode ser feito de várias maneiras e o cirurgião escolherá de acordo com a sua habilidade. Por exemplo, normalmente se faz com anestesia local, corrige a hérnia em ambulatório e o paciente vai embora.

Isso é bom porque se a hérnia for pequena e o paciente tiver problemas cardíacos ou doenças associadas, ele não conseguiria suportar uma anestesia geral. Portanto, a anestesia local é muito usada nessas situações.

Via laparoscópica e robótica

Além dessa, existem outras vias de acesso, como a cirurgia laparoscópica e robótica, que dão uma excelente qualidade de imagem para realizar a correção da hérnia inguinal.
O acesso pode ser extraperitoneal com o uso de tela ou o intraperitoneal, que vai depender da maneira como o cirurgião trabalha, e pode ser por via laparoscopia ou robótica.

Nas hérnias inguinais muito grandes que migraram para o intestino delgado e grosso, a cirurgia robótica facilita a visão e o acesso, e consegue fixar melhor as telas.

Portanto, nas hérnias pequenas indica-se anestesia local com o uso de tela convencional; nas hérnias pequenas e médias, a via laparoscópica é uma boa medida; e nas hérnias médias e grandes, recomendamos a cirurgia robótica.

São cirurgias relativamente rápidas e o doente fica um dia no hospital ou faz o procedimento ambulatorial quando é com anestesia local e vai embora para casa. Então, essas são as abordagens mais frequentes: anestesia local, laparoscopia ou robótica.

Foto Links Úteis | Prof. Dr. Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
CONTATO
Atenção: O site https://profluizcarneiro.com.br/ é uma espaço de informação e orientação médica de qualidade, nunca poderá substituir a consulta de um profissional médico que é a única pessoa capaz de realizar o diagnóstico real.

© 2021 Prof. Dr. Luiz Carneiro. Todos os direitos reservados. Desenvolvido com ♥ em WordPress por SuryaMKT

magnifiercross