Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761

A alimentação e o seu papel na prevenção de doenças estomacais

Ao fundo da imagem, há uma pessoa com uma colher de pau mexendo em um pote com salada.
A alimentação e o seu papel na prevenção de doenças estomacais 2

Reclamar de uma queimação ou incômodo estomacal após exagerar na alimentação é algo muito comum, e com certeza todos nós já fizemos isso! Geralmente, o sintoma mais comum neste tipo de situação é a azia, que pode surgir após um cafezinho, feijoada, cerveja, entre outros alimentos ou bebidas que muitas vezes, não caem bem ao estômago. Quando isso se torna algo frequente, é necessário ficar em alerta, principalmente, sobre os alimentos ingeridos. No post de hoje, falaremos mais sobre este assunto, para que você descubra qual o papel da alimentação para evitar as doenças estomacais. Acompanhe!

Hábitos alimentares x Doenças estomacais

Quando pensamos em uma má alimentação, logo percebemos que, após os 25 anos de idade, o corpo começa a mudar, ou seja, já não existe tanta facilidade em perder os famosos ‘quilinhos’ a mais. A verdade é que, esses quilos a mais não são o principal problema que a má alimentação pode causar.

Os maus hábitos alimentares são responsáveis por doenças estomacais como gastrite, e até problemas mais graves como o refluxo, que podem se tornar mais intensos, principalmente quando são ingeridos alimentos com maior acidez e também alimentos que interferem na regulação do conteúdo do estômago para o esôfago.

Sair da linha e abusar desses alimentos, de vez em quando, não causa nenhum problema, desde que uma alimentação equilibrada e exercícios físicos sejam parte da rotina.

Alimentação saudável

Um bom planejamento alimentar começa pela escolha dos ingredientes, que devem ser muito bem selecionados.

  • Frutas: Consumir as regionais, da época, e variar os tipos, dando preferência às cascas e ao bagaço.
  • Legumes e verduras: Variar as opções entre cruas e cozidas, e optar por folhas verdes escuras. Cozinhar com pouca água e no vapor, e se for acrescentar molho, que seja algo natural.
  • Carne e ovos: Preferir carnes magras, e retirar a gordura e as peles (frango). Consumir peixe pelo menos uma vez na semana, e cozinhar o ovo ao invés de fritá-lo. Evitar alimentos embutidos, como salsicha e linguiça.
  • Óleo e gorduras: Dar preferência para azeite e óleos vegetais.
  • Evitar alimentos ácidos como abacaxi, laranja e café.

E não se esqueça de consultar o médico gastroenterologista, caso existam outras dúvidas sobre as doenças estomacais.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo!

Foto Links Úteis | Prof. Dr. Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
CONTATO
Atenção: O site https://profluizcarneiro.com.br/ é uma espaço de informação e orientação médica de qualidade, nunca poderá substituir a consulta de um profissional médico que é a única pessoa capaz de realizar o diagnóstico real.

© 2021 Prof. Dr. Luiz Carneiro. Todos os direitos reservados. Desenvolvido com ♥ em WordPress por SuryaMKT

magnifiercross