Home » A alimentação e o seu papel na prevenção de doenças estomacais

Profº Luiz Carneiro D'Albuquerque - CRM: 22.761

Cv Lattes   GoogleMyCitations  ResearcherID  ORCID

Última atualização em 31/07/2020 por Prof Luiz Carneiro

A alimentação e o seu papel na prevenção de doenças estomacais

Reclamar de uma queimação ou incômodo estomacal após exagerar na alimentação é algo muito comum, e com certeza todos nós já fizemos isso! Geralmente, o sintoma mais comum neste tipo de situação é a azia, que pode surgir após um cafezinho, feijoada, cerveja, entre outros alimentos ou bebidas que muitas vezes, não caem bem ao estômago. Quando isso se torna algo frequente, é necessário ficar em alerta, principalmente, sobre os alimentos ingeridos. No post de hoje, falaremos mais sobre este assunto, para que você descubra qual o papel da alimentação para evitar as doenças estomacais. Acompanhe!

Hábitos alimentares x Doenças estomacais

Quando pensamos em uma má alimentação, logo percebemos que, após os 25 anos de idade, o corpo começa a mudar, ou seja, já não existe tanta facilidade em perder os famosos ‘quilinhos’ a mais. A verdade é que, esses quilos a mais não são o principal problema que a má alimentação pode causar.

Os maus hábitos alimentares são responsáveis por doenças estomacais como gastrite, e até problemas mais graves como o refluxo, que podem se tornar mais intensos, principalmente quando são ingeridos alimentos com maior acidez e também alimentos que interferem na regulação do conteúdo do estômago para o esôfago.

Sair da linha e abusar desses alimentos, de vez em quando, não causa nenhum problema, desde que uma alimentação equilibrada e exercícios físicos sejam parte da rotina.

Alimentação saudável

Um bom planejamento alimentar começa pela escolha dos ingredientes, que devem ser muito bem selecionados.

  • Frutas: Consumir as regionais, da época, e variar os tipos, dando preferência às cascas e ao bagaço.
  • Legumes e verduras: Variar as opções entre cruas e cozidas, e optar por folhas verdes escuras. Cozinhar com pouca água e no vapor, e se for acrescentar molho, que seja algo natural.
  • Carne e ovos: Preferir carnes magras, e retirar a gordura e as peles (frango). Consumir peixe pelo menos uma vez na semana, e cozinhar o ovo ao invés de fritá-lo. Evitar alimentos embutidos, como salsicha e linguiça.
  • Óleo e gorduras: Dar preferência para azeite e óleos vegetais.
  • Evitar alimentos ácidos como abacaxi, laranja e café.

E não se esqueça de consultar o médico gastroenterologista, caso existam outras dúvidas sobre as doenças estomacais.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo!

Clique no sino do canto inferior esquerdo para receber notificações!

         por Dr. Luiz Carneiro D’Alburquerque

CRM 22.761    

 

 

 

 

 

 

      por Dr. Luiz Carneiro

D’Albuquerque

CRM 22.761    

2 Comentários

  1. Gostei muito bom para saber e cuidar da nossa saúde obrigado Dr.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro
× Agendar Consulta.