Hepatites virais: as diferenças entre hepatites A, B e C

As hepatites virais são doenças que acometem o fígado e causam a inflamação do órgão, podendo em alguns casos levar os indivíduos a sérias complicações. Geralmente, quando não são diagnosticadas a tempo, ou não recebem o tratamento adequado, algumas dessas doenças podem evoluir e se tornam cirrose hepática, que aumentam até mesmo os riscos de câncer do fígado.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, são registrados 1,4 milhões de novos casos de hepatite A, e cerca de 325 milhões de pessoas no mundo convivem com a infecção por hepatite B e C.

Entre esses três tipos, existem algumas diferenças, principalmente com relação à forma de transmissão de cada uma. Elaboramos este artigo para esclarecer essa dúvida. Continue nos acompanhando.

 

O que são as hepatites?

Hepatite A

A Hepatite A é considerada com a maior probabilidade de evolução benigna. Mas, pode acontecer também de ela evoluir para uma hepatite fulminante, podendo levar a um transplante de fígado ou até mesmo, ao óbito.

Sua transmissão ocorre por via oral e fecal, ou seja, o contágio resulta da ingestão de verduras mal lavadas, alimentos crus e água contaminada. Atualmente, alguns casos também podem ser atribuídos à relação sexual oral sem proteção.

 

Hepatite B

Esse é o tipo de hepatite que pode ser transmitida por relações sexuais, transfusão de sangue, contato com instrumentos perfuro cortantes que estejam contaminados com pelo vírus através do sangue, tais como agulhas e seringas, alicates, agulhas de tatuagem não descartáveis, entre outros. No Brasil, estima-se que 15% da população já contraíram a hepatite B e 1% apresenta a doença em sua forma crônica.

 

Hepatite C

​​A hepatite C pode ser considerada com maior gravidade, devido sua relevância clínica e morbimortalidade. De acordo com a Organização Mundial das Nações Unidas, são cerca de 500 milhões de pessoas no mundo infectadas pela doença, e somente 5% apresentam sintomas e a descobrem. No Brasil, 1,5 milhão de pessoas aproximadamente são infectadas por essa doença.

A doença é transmitida por via sanguínea, bastando apenas uma pequena quantidade de sangue contaminado para transmitir o vírus, e isso pode acontecer por meio do contato com um corte ou ferida, ou na partilha de seringas. A transmissão por via sexual não é tão frequente.

 

Diagnóstico de hepatite

São comuns os casos onde o indivíduo que sofre de hepatite fica anos sem saber que possui a doença. O diagnóstico, muitas vezes, acaba acontecendo de forma incidente, em um simples check-up médico, ou durante uma doação de sangue. Por este motivo, é importante estar atento e realizar exames de rotina com frequência para um diagnóstico precoce.

Clique no sino do canto inferior direito para receber notificações!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
Agende pelo Whatsapp