Home » Tumores císticos do pâncreas

Profº Luiz Carneiro D'Albuquerque - CRM: 22.761

Cv Lattes   GoogleMyCitations  ResearcherID  ORCID

Última atualização em 30/10/2020 por Prof Luiz Carneiro

Tumores císticos do pâncreas

Tumores císticos do pâncreas são tumores que se formam em cistos, que é uma cavidade preenchida por líquido e que tem comunicação com o canal principal do pâncreas ou com canais secundários. Portanto, são lesões em que o preenchimento do cisto é dado por mucina.

Quando o cisto é considerado maligno?

Normalmente, os cistos são benignos, mas quando atingem mais de 2 cm no ducto que tem comunicação principal com o pâncreas, é um sinal de alarme.

E quando os cistos que atingem os ductos secundários são maiores que 3 cm, podemos questionar um risco de malignização.

Para estar atento, saiba que os cistos que estavam medindo 1 cm, passou para 1.5, depois para 2, e chegou à 2.4, possuem maior risco por ter um crescimento continuado.

Já aqueles que tinham entre 0.8 e 0.9, e mesmo após fazer exames e acompanhar entre 3, 6, 9 meses e 1 ano, e ainda continuam com o mesmo tamanho, possuem um risco muito menor.

Caso o nódulo seja em uma região mais complexa, nós temos que realizar o segmento de maneira mais atenta. Isso porque, se ele mudar o comportamento, a chance de ressecção e cura é mais dificultada.

Diagnóstico dos tumores císticos do pâncreas

Nós podemos fazer uma punção para saber a origem dessa lesão, por exemplo, se é uma lesão que já tem produção de marcadores tumorais muito alta, pode ser que existam tumores instalados ocasionando o crescimento do cisto.

Saiba que, se o cisto mudar de tamanho de forma exagerada, como citado acima, não é necessário realizar punção e nem biópsia, porque a mudança de comportamento já é um grande sinal de risco, e o paciente deve ser tratado.

O cisto que tem comunicação com o canal principal do pâncreas é o mais perigoso. Fique atento (a)! E caso o cisto tenha 4 cm ou mais, já existe indicação cirúrgica.

Bibliografia:

Beneficial effects of n-acetyl cysteine on pancreas and kidney following experimental pancreatic ischemia-reperfusion in rats

Meirelles Junior, Roberto Ferreira ; Kubrusly, Márcia Saldanha ; Bellodi-Privato, Marta ; Molan, Nilza Aparecida Trindade ; Machado, Marcel Cerqueira Cesar ; D’ALBUQUERQUE, L. A. C.
—————————————————————-

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
 

         por Dr. Luiz Carneiro D’Alburquerque

CRM 22.761    

 

 

 

 

 

 

      por Dr. Luiz Carneiro

D’Albuquerque

CRM 22.761    

Base-Side-Bar-Figado
Entre em Contato | Prof. Dr. Luiz Caneiro
× Agendar Consulta.