Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Transplante de Fígado com Doador Vivo: Preparo do Doador

Confira quais são os exames necessários para o preparo do doador para a doação de fígado inter vivos!

O Preparo do Doador

Após o preenchimento dos critérios de seleção pré-estabelecidos pela equipe médica, o candidato começa a ser preparado. 

Esse preparo envolve:

  • Exames de sangue;
  • Exames de imagem;
  • Consultas.

Quando coletado todos os exames de sangue, fazemos uma bateria, começando pela tipagem sanguínea, que é obrigatória a confirmação mesmo que o paciente já saiba.

É coletado também todos os exames do fígado, que são as enzimas hepáticas, para vermos se está tudo certo.

Além disso, é coletado exames de colesterol, da função renal e da função da tireoide.

Todos esses exames são coletados para termos certeza de que o doador não apresente nenhuma alteração que possa prejudicá-lo.

Exames de Imagem

Em relação aos exames de imagem, esse doador realiza dois principais, sendo:

Tomografia Computadorizada de Abdômen com Contraste na Veia

É avaliado tanto a anatomia do fígado quanto a volumetria.

O que é a volumetria? A volumetria é o quanto um software consegue estimar o peso e tamanho do fígado.

Isso é importante, pois, quando falamos em doação intervivos, falamos em doar ou o fígado direito ou o fígado esquerdo, e é necessário se certificar que o fígado que vai para o receptor é suficiente em questão de tamanho, e o fígado que vai continuar com o doador também seja suficiente para ele.

Para isso existem algumas contas que fazemos, mas, é através dessa volumetria que nós conseguimos saber.

Ressonância de Abdômen: é uma ressonância com uma colangiografia.

Se o doador se encaixou em todos os exames de sangue, laboratoriais e realizou a tomografia, ele vai para esse terceiro e último exame, que tem a função de avaliar as vias biliares.

A avaliação das vias biliares é feita para analisar se existe alguma alteração anatômica muito acentuada, pois, caso haja, essas alterações podem dificultar o transplante e trazer resultados negativos.

Consultas

Além desses exames, o doador passa em diversas consultas com cirurgiões, equipe de psicologia, equipe de enfermagem, etc.

É importante que o candidato passe por todo esse processo de assistência para que tudo fique muito bem esclarecido. Ele tem que tirar todas e quaisquer dúvidas, além de se sentir acolhido e seguro para esse procedimento.

Deixamos sempre claro que é um ato totalmente voluntário, então o doador pode desistir em qualquer momento do processo, sem nenhum tipo de julgamento e muito menos prejuízo para quem supostamente ele iria doar.

Todo esse processo multidisciplinar é muito relevante para o preparo do doador, pois assim, conseguimos minimizar os riscos de complicações durante a cirurgia e no pós operatório.

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down