Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761

Quem deve fazer a Cirurgia de Hemorroida?

A cirurgia de hemorroidas é chamada de hemorroidectomia e deve ser feita pelos pacientes que não conseguiram alcançar bons resultados com os tratamentos mais conservadores,  continuam apresentando sintomas como dor e sangramento, trombose hemorroidária e hemorróidas graus avançados.

quem deve fazer a cirurgia de hemorroida prof dr luiz carneiro bg
Quem deve fazer a Cirurgia de Hemorroida? 2

Existem diversas medidas que podem ser adotadas para tratar as hemorroidas. Algumas técnicas são mais conservadoras, porém, nem sempre elas promovem os resultados esperados. Quando isso acontece, o paciente pode ser indicado para realização de uma cirurgia de hemorroidas. 

Você sabe como esse tipo de cirurgia é realizada e o que acontece no pós-operatório? Preparamos este material para que você conheça as técnicas de cirurgia para hemorroida, assim como outros procedimentos que podem ser adotados como alternativa dependendo do quadro do paciente. Continue lendo para conferir!

Quais são os tipos de hemorroida?

Antes de falarmos sobre as indicações da cirurgia de hemorroidas, é preciso entender que esse quadro clínico apresenta tipos diferentes. Existem as hemorroidas externas e as hemorroidas internas.

As hemorroidas externas são aquelas que se projetam para a parte exterior do ânus e provocam desconforto na hora de sentar ou defecar. As hemorroidas internas são aquelas que se mantêm no interior do ânus. Essas são classificadas em graus diferentes: 

  • Grau 1: há um ligeiro aumento das veias, mas a hemorroida permanece no interior do ânus; 
  • Grau 2: há uma projeção da hemorroida para fora do ânus durante a defecação, mas ela retorna para o interior de forma espontânea; 
  • Grau 3: a hemorroida projeta para fora do ânus durante a defecação e precisa ser reintroduzida manualmente; 
  • Grau 4: a hemorroida se desenvolve no interior do ânus, porém, há um aumento de volume fazendo com que ela saia pelo ânus. Pode também provocar o prolapso retal, que se caracteriza pela saída da parte final do intestino.

Quais são as indicações da cirurgia de hemorroidas?

Como você viu, existem várias gravidades das hemorroidas, por isso, elas podem ser tratadas por meio de diversos procedimentos. Nem sempre existe a necessidade de recorrer à cirurgia de hemorroida

De toda forma, esse procedimento, chamado de hemorroidectomia, pode ser indicado tanto para as hemorroidas externas quanto internas. Costuma ser realizado quando os tratamentos conservadores não surtiram bons efeitos e nos casos em que o paciente começa a apresentar:

  • dor local enquanto anda;
  • assaduras;
  • sangramentos persistentes;
  • crises de dor;
  • tromboses;
  • inchaços persistentes. 

Assim, é preciso realizar a cirurgia quando o quadro de hemorroidas começa a causar desconfortos consideráveis, prejudicando a qualidade de vida do paciente e sem a demonstração de melhora com outras terapias.

Como a cirurgia de hemorroidas é feita?

A hemorroidectomia pode ser feita por meio de duas técnicas principais, sendo a aberta e a fechada. A técnica aberta é muito utilizada e consiste em fazer um pequeno corte e a remoção do tecido hemorroidário, seguidos de uma ligadura vascular na base do mamilo hemorroidário. A técnica fechada também envolve a realização de uma incisão no tecido hemorroidário, mas o cirurgião faz pontos para fechar a ferida. 

Para realização da cirurgia, é preciso que o paciente receba anestesia geral, raquianestesia ou sedação. Ele é mantido em posição ginecológica ou litotomia. O procedimento dura em média 30 a 45 minutos a uma hora e pode ser realizado também com a utilização de bisturis elétricos. 

Após a correção das hemorroidas, o paciente pode precisar permanecer internado no hospital por cerca de um dia. Esse tempo é importante para ele receber os primeiros cuidados no local operado, garantindo a boa higiene para favorecer a recuperação.

Existe também a Desarterialização Hemorroidária Transanal (THD), uma nova técnica cirúrgica minimamente invasiva na qual são feitas pequenas suturas para fechar as artérias e impedir o fluxo sanguíneo. Isso causa a morte dos tecidos. Essa cirurgia é feita de forma guiada por Doppler.

O que acontece no pós-operatório da cirurgia de hemorroidas?

O pós-operatório da cirurgia de hemorroidas costuma ser tranquilo. O tempo de recuperação, a sensação de dor ou desconforto variam conforme a sensibilidade do paciente. São condições amenizadas com o uso de analgésicos, e com a tendência de reduzirem gradativamente com o passar dos dias. 

De um modo geral, o paciente se sente confortável depois da realização da cirurgia de hemorroidas. Ainda assim, é esperado que ele sinta desconfortos por cerca de 10 a 14 dias, mas nem sempre é preciso se afastar das suas atividades rotineiras

A boa recuperação depende de seguir as orientações do médico. É muito importante manter a boa higiene do local, mas evitar o uso de papel higiênico após evacuar. O ideal é sempre lavar a região para eliminar todos os resquícios e favorecer a cicatrização. 

Como em qualquer outra cirurgia, deve-se evitar o esforço físico e não carregar pesos. Preferir alimentos leves e ricos em fibra no primeiro mês ajuda bastante a manter o conforto na hora de evacuar. O paciente também poderá receber a indicação de um laxante para alterar a consistência das fezes e facilitar a evacuação. 

Ingerir bastante líquido é mais uma medida que contribui com o conforto durante o pós-operatório. Os banhos de assento, feitos com água morna por cerca de 20 minutos, contribuem para minimizar os desconfortos.

Quais outros procedimentos tratam as hemorroidas? 

Existem outros procedimentos menos invasivos e tratamentos clínicos que podem ser adotados para o tratamento das hemorroidas. São técnicas que não costumam envolver incisões e são consideradas simples, podendo ser realizadas em ambiente ambulatorial. 

Entretanto, esses procedimentos costumam ser recomendados para os quadros de hemorroida de menor intensidade, que são aqueles de grau 1 e grau 2, mas apenas o médico é quem pode definir qual é o melhor tratamento em cada caso. 

Conheça a seguir algumas alternativas à cirurgia de hemorroidas.

Coagulação infravermelha

É utilizado um equipamento com luz infravermelha que aquece o local da hemorroida criando uma cicatriz. Leva à cicatrização e soltura espontânea do tecido comprometido. Costuma ser usado para tratar sangramentos internos.

Escleroterapia

Essa técnica é aquela para fazer o tratamento de problemas vasculares. Como as hemorroidas têm esse mesmo princípio, a escleroterapia é eficiente. Nela, injetamos uma substância nos vasos das hemorroidas, que provoca a morte dos tecidos.

Laqueação com elástico

Aplicamos uma banda elástica na base da hemorróida com o intuito de interromper o fluxo sanguíneo para aquele local. Assim, ocorre a morte dos tecidos. É um procedimento muito simples e também de baixo custo.

Técnica PPH

O Procedimento para Prolapso Hemorroidário (PPH) faz a fixação das hemorróidas em sua posição original utilizando grampos de titânio. Não é preciso fazer suturas e costuma ser recomendado para o tratamento das hemorróidas internas dos graus 2 e 3. Precisando de uma avaliação precisa da prolapso hemorroidário e da indicação da melhor técnica.

Confira também, nosso vídeo sobre o tema:

Como você pôde ver, nem sempre é preciso fazer a cirurgia de hemorroidas, mas ela é um procedimento importante quando as demais técnicas não surtem bons efeitos. De toda forma, apenas o médico é quem pode avaliar a necessidade do paciente e definir a melhor terapia, de acordo com a complexidade do quadro. 

Foto Links Úteis | Prof. Dr. Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro
Prof. Dr. Luiz Carneiro CRM: 22.761/SP, diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
CONTATO
Atenção: O site https://profluizcarneiro.com.br/ é uma espaço de informação e orientação médica de qualidade, nunca poderá substituir a consulta de um profissional médico que é a única pessoa capaz de realizar o diagnóstico real.

© 2021 Prof. Dr. Luiz Carneiro. Todos os direitos reservados. Desenvolvido com ♥ em WordPress por Surya Marketing Médico.

magnifiercross