Home » Hérnia de hiato: entenda as possíveis causas da doença


Profº Luiz Carneiro
Cv Lattes    GoogleMyCitations   ResearcherID   ORCID
CRM: 22.761
 

Hérnia de hiato: entenda as possíveis causas da doença

A imagem mostra um homem, do tórax ao abdome, com a mão pressionando o estômago.

Azia, dor de estômago, dificuldade para engolir, refluxo e tosse frequente são alguns sintomas experimentados por pessoas que desenvolvem a hérnia de hiato. Essa condição se caracteriza por uma alteração na estrutura que sustenta o estômago e posicionamento do estômago no hiato e pilares diafragmáticos.

Ela acontece por causa da projeção de parte desse órgão para a cavidade torácica, passando por dentro do hiato. É mais comum conforme a idade avança, sendo difícil que uma pessoa nasça com alterações na anatomia dessa região.

Mas se esse é um problema que adquirimos com o tempo, o que pode desencadeá-lo? Quais são os fatores que causam a hérnia de hiato? Preparamos este artigo para responder essa pergunta. Continue lendo e veja como essa condição se manifesta.

O que é a hérnia de hiato?

Antes de falarmos a respeito das causas da hérnia de hiato é importante entender exatamente o que ela é. Basicamente consiste no extravasamento de uma pequena porção do estômago para o tórax enquanto deveria estar restrito ao abdômen.

O tórax e o abdômen são separados por um músculo chamado de diafragma. Ele tem uma pequena abertura por onde passa o esôfago, órgão tubular que leva a comida da boca até o estômago. Esse orifício é chamado de hiato esofágico, ou simplesmente hiato.

Alguns fatores podem levar a um enfraquecimento do hiato ou ampliar o seu diâmetro. Quando isso acontece uma pequena parte do estômago sobe para o tórax passando por essa abertura, que deveria ser exclusiva do esôfago. É assim que se forma a hérnia de hiato.

Quais são as causas da hérnia de hiato?

Já se sabe de que maneira a hérnia de hiato se forma, mas ainda não está claro quais são as causas exatas para que isso aconteça. É sabido, também, que isso pode acontecer por causa de uma ampliação do hiato, ou por um afrouxamento ou enfraquecimento da musculatura do diafragma.

Como explicamos, é mais comum que isso aconteça conforme a idade avança, o que, nesse caso, poderia ser provocado por um enfraquecimento da musculatura em função do envelhecimento natural do organismo.
Pessoas obesas também apresentam uma suscetibilidade maior para a hérnia de hiato. Um fator estimulante para manifestação dela também poderia ser o excesso de atividades físicas com treinos muito pesados, gerando uma pressão grande na região do abdômen.

Outros fatores de risco, causas possíveis ou que favorecem a hérnia de hiato poderiam ser a tosse crônica e a doença do refluxo gastroesofágico. Mas é válido lembrar que em alguns casos a hérnia provoca o refluxo por facilitar o retorno do conteúdo estomacal pelo esôfago, em função da porção do estômago que está projetada no tórax.

A hérnia de hiato tem tratamento?

Em muitos casos o paciente responde bem aos tratamentos conservadores para hérnia de hiato. Quando o quadro é menos grave é possível fazer a prescrição de inibidores de bomba de prótons, pro cinéticos e antiácidos para controlar possíveis sintomas; também há necessidade de fazer uma reeducação alimentar, abster-se do tabaco e, se for o caso, tratar a obesidade.

Para os pacientes com uma hérnia de hiato de maior volume, ou nos casos em que ela cresce e não é eliminada, existe o risco de comprometimento de outros órgãos. A hérnia pode disputar espaço com o coração interferindo em seu ritmo. A irrigação do estômago também fica prejudicada (estrangulamento) então pode ser necessário fazer uma cirurgia para reposicionar o estômago na cavidade abdominal.

Como a hérnia de hiato não tem causas muito específicas para evitar que ela se manifeste podemos adotar hábitos mais saudáveis: manter uma boa alimentação, controlar o peso corporal e evitar sobrecarga de exercícios físicos.

Em caso de manifestação de sintomas é importante procurar um especialista para que o problema seja diagnosticado ainda no começo e realizadas intervenções, prevenindo sua evolução. Isso facilita ainda mais a regressão dela por meio das terapias conservadoras, evitando a necessidade de uma cirurgia no futuro.

Bibliografia:

Abdominal hernias in cirrhotic patients: Surgery or conservative treatment? Results of a prospective cohort study in a high volume center: Cohort study

PINHEIRO, RAFAEL SOARES ; NACIF, L. S. ; WAISBERG, DANIEL REIS ; NACIF, LUCAS SOUTO ; DUCATTI, LILIANA ; ROCHA-SANTOS, VINICIUS ; DINIZ, MÁRCIO A. ; ARANTES, RUBENS MACEDO ; LERUT, JAN ; D ALBUQUERQUE, LUIZ AUGUSTO CARNEIRO
—————————————————————-
 

Abdominal wall hernia in cirrhotic patients: emergency surgery results in higher morbidity and mortality

Andraus, Wellington ; PINHEIRO, RAFAEL SOARES ; LAI, QUIRINO ; HADDAD, LUCIANA B.P ; NACIF, LUCAS S ; D?ALBUQUERQUE, LUIZ AUGUSTO C ; LERUT, JAN .

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
 

         por Dr. Luiz Carneiro D'Alburquerque

CRM 22.761    

 

 

 

 

 

 

      por Dr. Luiz Carneiro

D'Albuquerque

CRM 22.761    

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
× Agendar Consulta.