Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Entenda quais os riscos da hérnia inguinal encarcerada

Hérnia é um defeito corrigido a partir do procedimento cirúrgico, geralmente utilizando telas. Seu crescimento pode levar a sérias complicações.

Neste post, vamos falar sobre a hérnia inguinal encarcerada,os riscos associados a ela, além de destacar a importância do  tratamento precoce, para evitar futuras complicações. Acompanhe!

Reparo de Hérnias 

A hérnia é um defeito que hoje em dia é corrigido quase sempre utilizando-se telas em cirurgias. Praticamente todas as intervenções para hérnia envolvem o uso dessas telas. Diferentemente de décadas atrás, muitos hospitais agora realizam cirurgias de hérnia de forma ambulatorial, o que tornou mais acessível para a população. Consequentemente, houve um aumento significativo no número de procedimentos cirúrgicos para reparar hérnias.

Encarceramento 

É importante notar que o crescimento de uma hérnia pode levar ao encarceramento, quando parte do intestino fica presa, mesmo hérnias pequenas, com apenas dois centímetros, podem causar esse problema.

Situações de Risco

Caso isso ocorra, a intervenção cirúrgica se torna absolutamente necessária. Portanto, é recomendado procurar tratamento o mais cedo possível ao identificar uma hérnia, pois complicações são frequentes quando ela não é corrigida. O risco de encarceramento é real e pode resultar em uma situação de risco de vida.

Se o intestino já estiver preto, sem vida, será necessário realizar um corte de um pedaço do intestino e costurá-lo. Muitas vezes, a operação ocorre de forma precoce, aguardando o índice e a volta da circulação do intestino.

Importância do Tratamento 

A cirurgia de hérnia, que costumava ser simples e ambulatorial, agora se tornou mais complexa com a utilização de telas. Se a hérnia não for operada, existe um risco aumentado de desenvolver uma hérnia encarcerada, que se torna um problema grave. 

Temos um ditado entre nós cirurgiões, de que: "hérnia diagnosticada, é hérnia operada".

Portanto, é fundamental tomar medidas preventivas e procurar um cirurgião para avaliação e intervenção o mais rápido possível. Tratar a hérnia em estágios iniciais é crucial, pois complicações posteriores podem se tornar sérias e até mesmo colocar a vida em risco.

Se esse conteúdo foi relevante para você, se te ajudou de alguma forma, compartilhe, deixe seu comentário e continue nos acompanhando para mais assuntos como esse

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down