Logo | Dr. Luiz Carneiro CRM 22761
Home RobóticaContato

Encefalopatia Hepática: sintomas e tratamentos

A encefalopatia hepática se caracteriza pela alteração do funcionamento do cérebro, desencadeando problemas de memória, dificuldade de raciocínio, sonolência excessiva, entre outros. O tratamento é feito na raiz do problema, ou seja, tratando as doenças hepáticas que sobrecarregam o fígado.

A imagem mostra uma ilustração digital de um cérebro.

O organismo humano trabalha como uma máquina, por isso, todos os órgãos precisam estar saudáveis para que não atrapalhem o funcionamento do conjunto. Quando existem problemas orgânicos os prejuízos podem acometer até mesmo o cérebro. Um dos quadros que se desenvolve dessa forma é a encefalopatia hepática. 

Como seu nome indica, essa doença acontece quando o fígado apresenta mau funcionamento. Ocorrem alterações no organismo e elas atrapalham o bom funcionamento do cérebro desencadeando diversos sintomas.

Neste artigo explicaremos melhor o que é a encefalopatia hepática, além de apresentar os seus sintomas e formas de tratamento. Continue lendo para aprender mais sobre o assunto.

O que é encefalopatia hepática? 

O fígado realiza diversas funções importantes no nosso organismo, e uma delas é filtrar o sangue para retirar substâncias tóxicas que poderiam prejudicar outros órgãos. Alguns problemas que acometem o fígado prejudicam o seu funcionamento, dificultando essa tarefa. 

Quando a capacidade hepática de fazer a filtragem do sangue é comprometida, essas toxinas, como a amônia, se acumulam na corrente sanguínea. Como o cérebro também é irrigado pelo sangue, essas substâncias tóxicas chegam até ele e ao sistema nervoso, desencadeando a encefalopatia hepática. 

Sendo assim, a encefalopatia hepática, também chamada de EH, consiste em uma doença caracterizada pelo mau funcionamento do cérebro em decorrência do contato com substâncias tóxicas que se acumulam no organismo por causa do mau funcionamento do fígado.

Essas alterações no funcionamento do fígado podem ocorrer por diferentes motivos, um deles é a sobrecarga de trabalho para esse órgão. Também pode acontecer devido a um consumo muito alto de proteínas, de bebidas alcoólicas ou quando a pessoa abusa de drogas e medicamentos.

Esses comportamentos, em longo prazo, desencadeiam uma inflamação crônica no fígado fazendo com que ele trabalhe sobrecarregado e, assim, não consiga filtrar o sangue corretamente. 

Doenças primárias do fígado também podem levar à encefalopatia hepática. Esse é o caso da cirrose e da insuficiência hepática crônica. Logo, tudo aquilo que compromete as boas funções hepáticas do fígado podem favorecer a EH.

Quais são os sintomas de encefalopatia hepática? 

Os sintomas causados pela encefalopatia hepática podem ser divididos em dois grupos. Em um deles estão os sintomas que envolvem as alterações no funcionamento do cérebro; no outro grupo estão os sintomas gerais.

Em relação aos sintomas que envolvem o cérebro, a EH provoca:

  • problemas de memória;
  • confusão mental;
  • tremor corporal (em especial nas mãos);
  • sonolência excessiva;
  • alterações no padrão de sono;
  • dificuldade para pensar;
  • problemas de coordenação motora.

Pacientes com encefalopatia hepática aos poucos sentem que não conseguem realizar tarefas simples do dia a dia. Também percebem que seus pensamentos estão ficando cada vez mais lentos, sentem dificuldade para raciocinar e fazer cálculos simples. Os sintomas podem evoluir para condições mais severas, como o estado de coma,

A encefalopatia hepática tem tratamento?

Embora a encefalopatia hepática seja um problema que acomete o cérebro, precisamos focar na saúde do fígado; afinal, como dito, essa doença ocorre quando esse órgão não está funcionando corretamente. 

Sendo assim, a abordagem é realizada de acordo com o problema de base; então, é preciso personalizar o tratamento conforme o que está atrapalhando o fígado funcionar corretamente. Tratando essa condição, a encefalopatia hepática também é tratada.

Também existem medicamentos que podem ser receitados para o paciente, a fim de contribuir com a função do fígado e o organismo eliminar as substâncias tóxicas que estão prejudicando o cérebro.

É recomendado, ainda, que seja feita uma mudança no estilo de vida, se ele estiver prejudicando as funções hepáticas. Algumas dessas mudanças são o equilíbrio da dieta e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Como você pode ver, o fígado pode até mesmo contribuir para, ou prejudicar, o funcionamento do cérebro. Portanto, a melhor alternativa continua sendo a prevenção, adotando hábitos e um estilo de vida saudável para que as funções hepáticas se mantenham em equilíbrio.

Gostou? Compartilhe!
dr Luiz Carneiro

Profº Dr.Luiz Carneiro

CRM: 22.761/SP

Diretor do Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas, professor da FMUSP e chefe do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

magnifiercrossmenuchevron-down