COLECTOMIA

 

  • O que é a colectomia?

A colectomia é a cirurgia de remoção de uma parte, ou de todo o cólon e gânglios linfáticos próximos ao órgão. O procedimento poderá ser realizado de formas diferentes: Colectomia total e colectomia parcial ou subtotal e podem ser por via convencional ou laparoscópica.

  • Colectomia total; 

Esse tipo de colectomia envolve a remoção de todo o cólon, sendo realizada com apenas uma incisão no abdômen do paciente.

  • Colectomia parcial ou subtotal:

A colectomia parcial ou subtotal é a cirurgia que remove apenas uma parte do cólon afetada, e também pode ser utilizada como tratamento de obstrução intestinal, perfuração no intestino e câncer.

  • Como funciona a colectomia?

A cirurgia de colectomia é minimamente invasiva, feita via laparoscópica, utilizando pinças e câmeras por laparoscopia, que são colocados por meio de 3 a 5 pequenas incisões de até 5 centímetros. É introduzida uma câmera, que permite ao cirurgião verificar toda a região abdominal através de um monitor.

O gás dióxido de carbônico (CO2 medicinal) é utilizado lentamente para inflar o abdômen do paciente. Uma das incisões é então ampliada para que o cólon seja removido. Todo o procedimento é feito sob anestesia geral.

  • Colectomia: pré-operatório

Antes de passar pelo procedimento de colectomia, o médico indicará ao paciente que deixe de utilizar certos medicamentos, pois alguns remédios poderão aumentar os riscos de complicações durante a cirurgia. Provavelmente, também será solicitado que a alimentação e a ingestão de líquidos sejam suspensas, isso antes de o paciente ser operado.

Devido ao cólon ser o local onde as fezes ficam depositadas, ele precisará de uma limpeza, e para isso, algum medicamento laxativo deverá ser ministrado conforme as instruções médicas.

Dependendo da situação, será necessário que o paciente fique alguns dias no hospital, mas isso dependerá da situação em que ele se encontra.

Em casos onde a colectomia é emergencial, por conta de obstrução intestinal ou alguma perfuração, não será possível que o paciente realize o preparo.

  • Vantagens da colectomia

O resultado da cirurgia varia de paciente para paciente, mas existem algumas vantagens do procedimento que são comuns para todos, principalmente quando se trata de cirurgia minimamente invasiva:

  • Menos tempo de internação hospitalar;
  • Retorno rápido às atividades;
  • Menos dores;
  • Retorno rápido à alimentação normal;
  • Resultado estético mais eficaz.
  • Colectomia: pós-operatório

Após a colectomia, geralmente, o paciente fica na sala de recuperação por até quatro horas, acompanhado de enfermeiras e médicos. Logo em seguida, é liberado para o quarto, onde já terá condições para caminhar. Antes de levantar da cama, é importante que ele aguarde 30 minutos, e se levante somente com o auxílio de outra pessoa ou profissional do hospital.
Alguns sinais de mal estar irão aparecer, entre eles as náuseas, sudorese, vômito, e tontura, mas todos na grande maioria serão passageiros.

Deverá inicialmente ficar em jejum e depois início dieta líquida, e na medida em que o paciente se sentir melhor e recuperado, a alimentação pode ser normalizada. Isso leva em torno de uma semana para acontecer.

  • Hábitos intestinais

Algumas alterações no hábito intestinal também podem ocorrer. A diarreia, por exemplo, será muito comum na primeira semana de recuperação do paciente, e caso ela persista por mais tempo, o médico deverá ser consultado.

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

agsdi-whatsapp
Share This