HEPATITE AUTOIMUNE

  • O que é Hepatite Autoimune?

Hepatite autoimune é uma doença esporádica onde o sistema de defesa do organismo ataca as células do próprio fígado, levando à sua inflamação. Cientistas acreditam que a influencia do fator genético possa predispor pessoas a ter doenças autoimunes.

Cerca de 70% dos indivíduos afetados pela hepatite autoimune são mulheres, a maioria entre os 15 e os 40 anos de idade. É comum portadores de hepatite autoimune apresentar outras doenças autoimunes como tireoidites e doenças reumatológicas, por exemplo.

É uma doença importante que se não tratada a tempo, tem chance de piorar. Considerada crônica, a hepatite autoimune pode durar anos, levando à cirrose hepática, câncer de fígado e até a insuficiência do fígado.

Hepatite autoimune tipo 1

Frequente entre as pessoas de 16 a 30 anos, é detectada pelo aparecimento de anticorpos (ex:  Fan e AML) nos exames de sangue.

Hepatite autoimune tipo 2

Atinge crianças e adolescentes dos 2 aos 14 anos, com o anticorpo LKM-1.


 

  • Quais são os sintomas da Hepatite Autoimune?

Geralmente é assintomática, mas alguns sinais levantam suspeita do problema.

– Fadiga

– Icterícia

– Fígado aumentado de tamanho

– Prurido

– Dor articular

– Náuseas intensas

– Desconforto abdominal acompanhado de dores


 

  • Complicações da Hepatite Autoimune ?

– Acúmulo de líquidos no abdômen

– Confusão mental

– Ciclo menstrual alterado


 

  • Como é feito o diagnóstico da Hepatite Autoimune?

– É feito através de exames de sangue de rotina como enzimas hepáticas e também exames para detectar anticorpos antinucleares (FAN), anticorpos anti músculo liso (AML), anticorpos anti microssomos do fígado e rim (A-KLM).

– Biópsia hepática


 

  • Como tratar a Hepatite Autoimune?

Com adoção de um tratamento correto em casa, a hepatite autoimune pode ser bem administrada, inclusive com a regressão de parte do dano ao fígado.

A dieta controlada, com refeições equilibradas e variadas, favorece ao bem estar do paciente.

Fica proibido o consumo de álcool e ingestão de alimentos gordurosos e muito processados como embutidos e salgadinhos.

Remédios que freiam o sistema imune dão resultado aos pacientes com hepatite autoimune como os corticoides e os imunossupressores. O tratamento, que é a longo prazo, recebe controle constante para avaliar custo x benefício da medicação e segurança ao paciente.  

Em casos extremos, quando os tratamentos não dão resultado, a doença avança para insuficiência hepática aguda ou cirrose hepática sendo necessário o transplante de fígado.


 

  • Dieta para hepatite autoimune

A refeição controlada reduz os efeitos colaterais dos medicamentos receitados pelo médico,

Como o fígado está inflamado, é recomendável abandonar o álcool e as comidas gordurosas.

Nutricionistas recomendam aos portadores de hepatite autoimune vegetais, frutas, cereais integrais, carnes magras, peixes e leguminosas.

Se puder, adquira alimentos sem agrotóxico.

 

Sinal verde

Rúcula, tomate, alface, brócolis, cenoura, abobrinha.

Banana, maça, pera, manga, melancia, melão.

Lentilha, feijão, ervilha, grão de bico.

Massas integrais como pães, arroz e macarrão.

Carne de frango e peru

Linguado, pescada, salmão.

Produtos lácteos light

Água – até 2 litros por dia

 

Sinal vermelho

Bebida alcoólica

Carne vermelha

Fritura

Embutido

Condimentos como mostarda, maionese e ketchup.

Manteiga, creme de leite.

Chocolate, bolo e biscoito.

Produtos lácteos integrais

Açúcar


 

Prof. Dr. Luiz Carneiro
Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
TIRE SUAS DÚVIDAS