Hiperplasia nodular focal: existe tratamento?

A hiperplasia nodular focal é um tumor do fígado considerado benigno, que pode variar em sua apresentação de tamanho. Embora seja bastante comum em ambos os sexos, tanto masculino quanto feminino, ocorre com muito mais frequência em mulheres que estão entre 20 e 50 anos de idade. A apresentação múltipla é extremamente rara e põe problemas de diagnóstico, pela dificuldade em caracterizar cada uma das lesões.

Na maioria dos casos, a doença é assintomática, ou seja, não apresenta nenhum tipo de sintoma, sendo identificada apenas com a realização de exames de rotina. Continue lendo para saber mais informações sobre o tumor e se existe ou não tratamento para o mesmo.

 

Possíveis causas da hiperplasia nodular focal

Uma das causas da hiperplasia nodular focal é o crescimento do número de células que respondem ao aumento do fluxo sanguíneo, numa má formação arterial. Apesar de não estar diretamente relacionado com a doença, o uso de medicamentos contraceptivos também podem favorecer o crescimento do tumor.

 

Diagnóstico de hiperplasia nodular focal

As técnicas utilizadas para detectar o tumor no paciente são a ultrassonografia e a tomografia computadorizada, que permitem uma avaliação mais precisa até chegar ao diagnóstico final. As ultrassonografias, a tomografia computadorizada, e também a ressonância magnética, podem evidenciar a massa hepática de características benignas.

 

Tratamento de hiperplasia nodular focal

Conforme dito anteriormente, esse é um tumor assintomático, e na maior parte dos casos não necessita de um tratamento específico. No entanto, é fundamental que o médico seja consultado com regularidade para verificar se houve ou não um avanço da doença, embora isto raramente aconteça.

Uma vez que a hiperplasia nodular focal é um tumor benigno, a remoção por meio de cirurgia é realizada apenas em situações em que existem dúvidas no diagnóstico, ou quando a lesão apresenta raros sintomas, como dor em excesso.

Veja também: todo nódulo no fígado é cirúrgico?

Por ser uma das possíveis causas do tumor, o uso de anticoncepcionais deve ser suspenso.

Clique no sino do canto inferior direito para receber notificações!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
Agende pelo Whatsapp