PANCREATITE AGUDA

  • O que é Pancreatite?

Esta doença é caracterizada pela inflamação do pâncreas. Ela pode ser identificada de duas formas: aguda ou crônica. O uso abusivo de álcool está diretamente ligado à maioria dos casos de pancreatite.


 

  • Quais são as causas da pancreatite aguda?

A pancreatite aguda pode se originar à partir dos cálculos biliares (pequenas pedras que se formam na vesícula biliar), divididas ao ducto de drenagem do pâncreas com as vias biliares. No local, existe um orifício comum de drenagem destes dois órgãos. Se o cálculo entupir nesta região, a drenagem do pâncreas fica comprometida. Essa obstrução provoca um processo inflamatório intenso e o aumento da glândula, por conta do acúmulo de líquido em seu interior.

O álcool também é uma das causas da pancreatite aguda, e é preciso ter muito cuidado.


 

  • Quais são os sintomas da pancreatite aguda?

O sintoma mais comum dessa doença é caracterizado, basicamente, por uma dor abdominal intensa, que costuma ter um início abrupto, localizado na região superior do abdômen, que depois reflete nas costas. É conhecida como uma das dores mais fortes que o ser humano pode sentir.

Além disso, as pessoas podem sentir náuseas, vômitos e amarelamento da pele e dos olhos.

Caso a pessoa sinta algum desses sintomas, deve ir ao médico imediatamente. O diagnóstico precoce é uma importante ferramenta para o melhor tratamento e possível cura da doença.


 

  • Como é feito o pancreatite aguda?

O diagnóstico dessa doença, geralmente, é feito por meio de exames clínicos e histórico médico do paciente a ser analisado. Isso porque, em parte dos casos, a pancreatite aguda está diretamente relacionada ao uso excessivo de álcool. O médico poderá confirmar a doença com exames de sangue, raios X e ultrassom abdominal, que poderão oferecer um resultado melhor e mais conclusivo deste problema.


 

  • Como tratar a pancreatite aguda?

Inicialmente, o tratamento costuma ser clínico nos casos leves, e o paciente precisa ser hospitalizado para receber cuidados importantes, como hidratação por soro na veia e jejum. O repouso costuma ser a melhor opção, em 80% dos casos de pancreatite aguda leve, para que o pâncreas desinflame, pois não há medicamentos comprovadamente capazes de provocar a desinflamação do órgão.

Em 10-20% dos pacientes, a doença pode avançar (pancreatite severa), lesionando pulmões, fígado e também o próprio pâncreas. Nestas situações, pode ser que o paciente entre em choque, e seja necessária a transferência para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Quando o quadro se agrava, levando à infecção, e consequentemente, à necrose do pâncreas, o médico pode indicar a cirurgia, para que seja retirado o material necrótico. Mas, o tipo de tratamento dependerá da indicação do médico especialista. 


 

  • Quais são as possíveis complicações da pancreatite aguda?

Apesar da possibilidade de ser controlada, a pancreatite pode evoluir para quadros mais graves, entre eles estão:

  • Danos nos rins;
  • câncer de pâncreas;
  • diabetes;
  • subnutrição;
  • infecção no pâncreas.

Por isso, é importante que seja feito o melhor tratamento, a fim de reduzir os riscos de complicações sérias e que podem comprometer a saúde do paciente.


 

  • Quais são as recomendações para evitar a pancreatite aguda?

O hábito de vida precisa ser saudável, principalmente no que se refere ao uso de álcool e alimentação. É preciso ficar atento com o fato de que, independentemente da quantidade ingerida, essa substância é tóxica, e causa problemas para o pâncreas.

Na verdade, com relação aos cálculos biliares, existem outras formas de prevenir a pancreatite aguda. Mas é possível reduzir o risco de pedra na vesícula biliar, ao manter um peso saudável, fazendo uma dieta equilibrada e praticando exercício físico regular.


 

Prof. Dr. Luiz Carneiro

Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

TIRE SUAS DÚVIDAS

Share This
Agende pelo Whatsapp