PANCREATITE AGUDA

  • O que é Pancreatite?

Esta doença é caracterizada pela inflamação do pâncreas. Ela pode ser identificada de duas formas: aguda ou crônica. O uso abusivo de álcool é diretamente ligado à maioria dos casos relatados deste problema.


 

  • Quais são as causas da pancreatite aguda?

A pancreatite aguda pode se originar a partir dos cálculos biliares (pequenas pedras que se formam na vesícula biliar), divido ao ducto de drenagem do pâncreas confluir com as vias biliares e existe um orifício comum de drenagem destes dois órgãos. Se o cálculo entupir nesta região, a drenagem do pâncreas fica comprometida. Essa obstrução provoca processo inflamatório intenso e aumento da glândula por causa do acúmulo de líquido em seu interior.

O álcool também é uma das causas da pancreatite aguda e é preciso ter muito cuidado.


 

  • Quais são os sintomas da pancreatite aguda?

O sintoma mais comum dessa doença é caracterizado, basicamente, por uma dor abdominal intensa. Ela costuma ter um início abrupto, localizado na região superior do nosso abdômen, e depois reflete nas costas do paciente. É conhecida como uma das dores mais fortes que o ser humano pode sentir.

Além disso, as pessoas podem sentir náuseas, vômitos e amarelamento da pele e dos olhos.

Se você sentir algum desses sintomas, vá ao médico imediatamente. O diagnóstico precoce é uma importante ferramenta para o melhor tratamento e possível cura da doença.


 

  • Como é feito o pancreatite aguda?

O diagnóstico dessa doença geralmente é feito por meio de exames clínicos e histórico médico do paciente a ser analisado. Isso porque, parte dos casos, a pancreatite aguda está diretamente relacionada ao uso excessivo de álcool. O médico poderá confirmar a doença com exames de sangue, raios X e ultrassom abdominal, que poderão oferecer um resultado melhor e mais conclusivo deste problema.


 

  • Como tratar a pancreatite aguda?

Inicialmente, o tratamento costuma ser clínico nos casos leves e o paciente precisa ser hospitalizado para receber cuidados importantes, como hidratação por soro na veia e jejum. O repouso costuma ser a melhor opção, em 80% dos casos de pancreatite aguda leve, para que o pâncreas desinflame, pois não há medicamentos comprovadamente capazes de provocar a desinflamação do órgão.

Em 10-20% dos pacientes, a doença pode avançar (pancreatite severa), lesionando pulmões, fígado e também o próprio pâncreas. Nestas situações, pode ser que o paciente entre em choque e seja necessária a transferência para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Quando o quadro se agrava, levando à infecção e, consequente, necrose do pâncreas, o médico pode indicar a cirurgia, para que seja retirado o material necrótico.

Mas, o tipo de tratamento a ser realizado dependerá da indicação do médico especialista e que acompanha o seu caso. Somente este profissional poderá tratá-lo da melhor forma.


 

  • Quais são as possíveis complicações da pancreatite aguda?

Apesar da possibilidade de ser controlada, a pancreatite pode evoluir para quadros mais graves, entre eles estão: danos nos rins, câncer de pâncreas, diabetes, subnutrição e infecção no pâncreas. Por isso, é importante que seja feito o melhor tratamento, a fim de reduzir os riscos de complicações sérias e que podem comprometer a saúde do paciente.


 

  • Quais são as recomendações para evitar a pancreatite aguda?

O hábito de vida precisa ser saudável, principalmente no que se refere ao uso de álcool e alimentação. É preciso ficar atento com o fato de que, independentemente da quantidade ingerida, essa substância é tóxica e causa problemas para o pâncreas.

Na verdade, com relação aos cálculos biliares, existem outras formas de se prevenir a pancreatite aguda. Mas é possível reduzir o risco de pedra na vesícula biliar, ao manter um peso saudável, fazendo uma dieta equilibrada e praticando exercício físico regular.


 

Prof. Dr. Luiz Carneiro
Diretor da Divisão de Transplantes de Fígado e Orgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
TIRE SUAS DÚVIDAS